400 anos de são pedro da aldeia

É Tempo de Viver Bem

CAPS de São Pedro da Aldeia comemora aniversário com passeio em Rio das Ostras

Por Gabrielly Costa em 02/12/2014
Imagem da Notícia: A Prefeitura de São Pedro da Aldeia, por meio da Secretaria de Saúde e do Programa Municipal de Saúde Mental, realizou um passeio em Rio das Ostras com usuários e funcionários do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) da cidade. A iniciativa marcou o 13º aniversário do dispositivo, primeiro da Baixada Litorânea, que visa acolher pacientes com transtornos mentais graves e persistentes de forma intensiva ou em situações de crise psiquiátrica. O local foi escolhido pelos próprios usuários do Centro. Na ocasião, o grupo visitou a Praia do Centro, participou de uma oficina na Casa de Leitura Casimiro de Abreu e de uma dinâmica na Casa de Cultura Casa da Cultura Bento Costa Júnior, além de visitar as dependências do CAPS rio ostrense, interagindo com os usuários e profissionais da unidade.

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia, por meio da Secretaria de Saúde e do Programa Municipal de Saúde Mental, realizou um passeio em Rio das Ostras com usuários e funcionários do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) da cidade. A iniciativa marcou o 13º aniversário do dispositivo, primeiro da Baixada Litorânea, que visa acolher pacientes com transtornos mentais graves e persistentes de forma intensiva ou em situações de crise psiquiátrica. O local foi escolhido pelos próprios usuários do Centro. Na ocasião, o grupo visitou a Praia do Centro, participou de uma oficina na Casa de Leitura Casimiro de Abreu e de uma dinâmica na Casa de Cultura Bento Costa Júnior, além de visitar as dependências do CAPS rio ostrense, interagindo com os usuários e profissionais da unidade.



De acordo com Rosemary Calazans Cypriano, diretora do Programa de Saúde Mental, as atividades externas são essenciais para o trabalho de ressocialização realizado pelo Centro. "Os usuários queriam muito conhecer Rio das Ostras, o que pode ser simples para as outras pessoas, mas que para eles não é tanto. Comemoramos os 13 anos do CAPS aldeense, que foi o primeiro da Baixada Litorânea, de um jeito muito satisfatório. Nós pudemos passear pela praia, ir à Casa de Cultura da cidade e participar de um momento comemorativo. Também visitamos o CAPS do município, o que resultou numa interação bem bacana com usuários e profissionais", disse.



Ainda segundo Rosemary, atividades externas possibilitam uma avaliação do serviço realizado no dispositivo. “Estar com esses usuários em outro espaço e vivendo outras experiências é muito importante. O CAPS é um dispositivo de território, que acolhe a crise, e que precisa construir laços com tudo e com todos. Antigamente, a única forma de cuidado era um longo período de internação e hoje não é assim. Hoje eles estão livres de hospícios, de instituições fechadas, e podem circular como qualquer pessoa. É claro que temos medidas de proteção em relação aos nossos usuários e aos cuidados que precisam ser tomados, mas podemos lhes garantir os direitos que todos cidadãos possuem”, falou.



O CAPS conta com uma equipe multidisciplinar formada por psiquiatra, psicólogos, enfermeiro, assistente social, terapeuta ocupacional, musicoterapeuta, técnico de enfermagem, além da equipe administrativa, e atende cerca de 200 usuários. Na visita à Casa de Leitura, os usuários participaram do Projeto Leitura Viva e da oficina "Colcha de Retalhos".



Coordenadora do dispositivo, Sara da Hora fala sobre a celebração. "Nós costumávamos comemorar com uma festa para os usuários, mas resolvemos fazer o passeio a pedido deles. O lugar foi escolhido em conjunto, porque já havia o desejo de conhecer Rio das Ostras há algum tempo. Passamos o dia no município, participamos de oficinas, dinâmicas, abrimos um espaço de talento onde eles puderam mostrar o que sabiam fazer. Foi uma experiência bem legal. O CAPS trabalha muito com a questão da inserção social, do conhecimento de um novo espaço que eles podem visitar independente de estar no Centro ou não. Nosso trabalho não é institucionalizar, o movimento é o contrário, é de reinserção na sociedade, no mercado de trabalho, em grupos, igrejas, escolas, cursos. O passeio foi outra forma de estarmos comemorando o aniversário, mas tão prazerosa quanto uma comemoração interna. Eles vivenciaram uma situação diferente, conheceram um novo espaço e novas pessoas, aumentando o ciclo de convivência", declarou.



O Centro de Atenção Psicossocial de São Pedro da Aldeia funciona ao lado do Pronto Socorro Municipal, na Rua Waldir Lobo, s/nº, de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h. O objetivo do Centro é acolher pacientes com transtornos mentais graves e persistentes de forma intensiva ou em situações de crise psiquiátrica, evitando até o último momento a internação em clínica especializada. O CAPS funciona de forma intersetorial, trabalhando em rede com a Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos, o Ministério Público, diferentes dispositivos da própria Secretaria de Saúde, entre outras instituições.