400 anos de são pedro da aldeia

É Tempo de Viver Bem

Comunidade Quilombola comemora Semana da Consciência Negra em São Pedro da Aldeia

Por Viviane Teixeira em 19/11/2014
Imagem da Notícia: Foi com muita festa, emoção e união que a comunidade quilombola dos bairros Botafogo e Caveira, em São Pedro da Aldeia, comemorou o encerramento da Semana da Consciência Negra em evento realizado na manhã de hoje, dia 19 de novembro, na Escola Municipal Quilombola Dona Rosa Geralda da Silveira. A semana festiva, alusiva ao Dia Nacional da Consciência Negra, comemorado amanhã (20), contou com a realização da Prefeitura aldeense, através da Secretaria Municipal de Educação – SEMED.


 

Foi com muita festa, emoção e união que a comunidade quilombola dos bairros Botafogo e Caveira, em São Pedro da Aldeia, comemorou o encerramento da Semana da Consciência Negra em evento realizado na manhã de hoje, dia 19 de novembro, na Escola Municipal Quilombola Dona Rosa Geralda da Silveira. A semana festiva, alusiva ao Dia Nacional da Consciência Negra, comemorado amanhã (20), contou com a realização da Prefeitura aldeense, através da Secretaria Municipal de Educação – SEMED.



Diretora da escola quilombola, Cláudia Nunes dos Santos falou sobre o prazer de sediar o evento e sobre a força da comunidade local: “Para nós é uma enorme alegria porque estamos resgatando a nossa identidade, a identidade do povo negro, tão esquecida. Além disso, estamos reavivando a cultura local de Botafogo e Caveira e mostrando às crianças as nossas origens; ensinando a elas que devem respeitar a sua raça, assim como também respeitar os outros”.



Estiveram presentes ao evento a secretária adjunta de Educação, Edlúcia Marques, e a subsecretária de Diversidade, Inclusão e Educação Integral, Ângela Sampaio. Para a subsecretária, o evento serviu para brindar a escola quilombola, suas origens e raízes: “É com grande satisfação que estamos aqui nessa escola tão querida que inauguramos no ano passado. Parece que estamos vivendo esse momento de novo”, lembrou Ângela Sampaio que agradeceu ao diretor Sérgio dos Santos, da Diretoria de Promoção das Políticas Públicas de Igualdade Racial (DIPPPIR), ligada à Secretaria Municipal de Educação – SEMED - que não pode comparecer ao encontro por motivo de saúde.



A secretária Adjunta de Educação, Edlúcia Marques, falou sobre a beleza da festa em comemoração ao Dia da Consciência Negra: “Isso é que é escola viva. Me sinto honrada de ter feito parte da construção dessa história. Desejo que todos aproveitem muito este dia”, declarou.



Em toda a escola, exposições de arte retratavam a vestimenta, máscaras e símbolos africanos. Também foram oferecidas aos convidados comidas típicas do local, como tapioca, beiju, batata doce e aipim. As crianças apresentaram danças típicas da cultura negra, como o maculelê, o samba, o tambor de crioula, além da capoeira e receberam pinturas e penteados estilizados.



Compareceram ao evento representantes das escolas Municipal Francisco Paes de Carvalho Filho, Escola Municipalizada Adalgiza da Silva Lobo, Escola Municipalizada Paulo Roberto Marinho, Escola Municipalizada Pequiá, Escola Municipalizada Manoel Martins Teixeira e Horto Escola Artesanal.


Homenagem aos mais antigos – Em meio à cerimônia de apresentação do evento, um momento emocionou os presentes: a apresentação dos homens e mulheres mais antigos da comunidade quilombola. Entre eles, estava Dona Aquilina, mais conhecida como Tia Lola, de 92 anos. Sobre o evento na Escola Municipal Quilombola Dona Rosa Geralda da Silveira, ela disse: “Me sinto muito feliz em estar aqui nesta escola, afinal, esperamos muito por isso. Hoje meus bisnetos estudam aqui”. No meio do grupo também estava seu Manoel José, o mais velho, com 94 anos.



O presidente da Associação de Remanescentes Quilombolas de Botafogo e Caveira, Roberto dos Santos, pediu um minuto de silêncio aos presentes em memória dos antepassados: “peço isso porque eles sofreram muito para que hoje estivéssemos aqui”, disse. Sobre a comunidade quilombola, declarou: “Lutamos muito por essa terra e hoje nossa comunidade é reconhecida. Além disso, e isso é o mais importante, estamos trabalhando pelo resgate de nossas tradições”, afirmou. Roberto dos Santos entregou, junto com a secretária adjunta de Educação, Edlúcia Marques, e a diretora da escola o livro “A Cozinha Quilombola” à Dona Almerinda, uma das representantes da comunidade mais antigas e autora da Sopa Quilombola, presente no livro.