Brasão da Prefeitura Municipal de São Pedro da Aldeia.

Trabalho e desenvolvimento

Educadores aldeenses participam de curso anual de língua portuguesa no Centro de Formação Continuada

Por Marianne Rodrigues em 06/09/2018
Imagem da Notícia: O sexto encontro do curso anual “O ensino da Língua Portuguesa da teoria à prática: Múltiplas possibilidades - cantar, ler, avaliar, pensar, produzir e escutar (CLAPPE)”, destinado a educadores da rede municipal, foi realizado na última quarta-feira (05). Promovido pela Prefeitura de São Pedro da Aldeia, por meio da Secretaria de Educação, o curso tem carga horária de 60 horas e oito encontros por ano, todos realizados no Centro de Formação Continuada Professora Ismênia Trindade dos Santos (CEFOR), no bairro Nova São Pedro.

         O sexto encontro do curso anual “O ensino da Língua Portuguesa da teoria à prática: Múltiplas possibilidades - cantar, ler, avaliar, pensar, produzir e escutar (CLAPPE)”, destinado a educadores da rede municipal, foi realizado na última quarta-feira (05). Promovido pela Prefeitura de São Pedro da Aldeia, por meio da Secretaria de Educação, o curso tem carga horária de 60 horas e oito encontros por ano, todos realizados no Centro de Formação Continuada Professora Ismênia Trindade dos Santos (CEFOR), no bairro Nova São Pedro.


       O curso é destinado a professores de Língua Portuguesa da rede municipal de ensino, do 6º ao 9º ano, e aborda uma proposta específica a cada mês. A habilidade em destaque do último encontro foi “LER”. As aulas foram ministradas pela tutora Cristina Braga, que usou como bibliografia básica a coleção “Com a história na mão”, da Ciranda Cultural.



Na ocasião, foram dados alguns avisos sobre carga horária, ficha de registro de atividade, datas dos próximos encontros e afins. A pauta do dia teve início com o compartilhamento de atividades realizadas nas unidades escolares, a partir das propostas apresentadas na reunião anterior. Cada cursista desenvolveu o texto selecionado para o grupo, com leitura oral análise das produções. Em seguida, elaboraram uma questão interpretativa e outra sobre um aspecto gramatical, destinadas às suas turmas.





Professora da E. M. Vinhateiro e E. M. Lucinda Franciscone Medeiros, Cleide Tavares falou sobre o aprendizado adquirido no curso. “Trabalho na rede de ensino há seis anos e esse curso só está acrescentando conhecimento na minha carreira. Isso é muito bacana”, disse.  



Já a atividade seguinte foi dedicada ao estudo de propostas da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), referente ao Campo Artístico Literário, que ressaltam a importância da leitura de livros que representem desafio que rompam com o universo de expectativas do estudante.





“Todas as dicas da tutora Cristina são muito boas, o material que ela traz acrescenta muito no nosso conhecimento e é uma forma de tornar a aula mais dinâmica”, afirmou a professora da E. M. Vinhateiro, Gisele Andressa.


Os cursistas leram livros egípcios, gregos, romanos, nativos, norte-americanos e celtas. Eles refletiram sobre hábitos, crenças, vestiário, alimentação, moradia, classes sociais, conflitos e linguagens de cada povo.  


“As apresentações foram riquíssimas e as questões elaboradas, comparando a cultura desses povos com a cultura local, foram enriquecedoras. As semelhanças e diferenças, usos e desusos, no ontem e no hoje, resultaram em desafiadoras propostas de produção textual. O encontro foi encerrado abordando o poder inestimável e incomparável da leitura, que nos fez viajar por milênios e analisar criticamente a sociedade moderna e tudo sem sair do lugar”, finalizou Cristina Braga.