400 anos de são pedro da aldeia

É Tempo de Viver Bem

Escola da Rede Municipal realiza culminância de projeto que mapeou o bairro

Por Mônica em 18/10/2013
Imagem da Notícia: Durante noventa dias, duzentos alunos da Escola Municipalizada Lucinda Franciscone de Medeiros mapearam o bairro Porto do Carro onde está localizada a escola. A proposta era incentivar os estudantes a fazerem uma leitura do bairro, com a compreensão do que ocorre no meio onde vivem, visando a reflexão conjunta dos problemas existentes na comunidade e a busca de soluções. O resultado, que superou todas as expectativas, pode ser visto nesta sexta-feira (18). Uma grande exposição de todos os trabalhos revelou peculiaridades e curiosidades e mostrou a realidade de um bairro cheio de histórias e belezas.


Durante noventa dias, duzentos alunos da Escola Municipalizada Lucinda Franciscone de Medeiros mapearam o bairro Porto do Carro onde está localizada a escola. A proposta era incentivar os estudantes a fazerem uma leitura do bairro, com a compreensão do que ocorre no meio onde vivem, visando a reflexão conjunta dos problemas existentes na comunidade e a busca de soluções.  O resultado, que superou todas as expectativas, pode ser visto nesta sexta-feira (18). Uma grande exposição de todos os trabalhos revelou peculiaridades e curiosidades e mostrou a realidade de um bairro cheio de histórias e belezas.


 Para chegar à culminância do projeto, os alunos tiveram que gastar muita saliva e sola de sapato. Eles entrevistaram artistas plásticos, moradores antigos, políticos, fizeram pesquisa de casa em casa e também recorreram a outras fontes de informação como registros escritos. Entre as descobertas importantes estão as informações sobre a própria escola. Eles estudaram a vida de Lucinda Franciscone Medeiros e também sobre a construção do prédio da escola. O resultado desse trabalho será registrado em um livro que a escola vai editar nos próximos meses.

Além da exibição dos vídeos com as entrevistas, foi feita a exposição de diversas maquetes confeccionadas pelos alunos: a igreja católica do bairro, a antiga loja Porto e a Escola M. Lucinda Franciscone Medeiros são as principais.  O conceito de sustentabilidade também foi apresentado através dos trabalhos com material reciclado.  Vale ressaltar que, segundo pesquisaram os estudantes, no bairro há seis usinas de reciclagem.  O mapa cartográfico do bairro, fotos da escolinha de futebol que existe há 29 anos no bairro, trabalhos do artista plástico Reinaldo Caó, apresentação de danças e de peças teatrais abordando o problema das drogas também fizeram parte das atrações nesta sexta-feira, na escola.

De acordo com a aluna Larissa Billo, do 8º ano, a melhor parte do trabalho foi descobrir como era o bairro no passado. Ela ficou impressionada com as dificuldades que os antigos moradores do bairro enfrentaram: a falta de água, por exemplo, era um problema constante e para obter o líquido precioso muitas pessoas tinham que descer e subir ladeiras carregando baldes de água. Por outro lado ela ficou encantada ao saber que já existiram muitas salinas no bairro. Para a aluna Iara Géssica, do 9º ano, o que mais chamou a atenção foi o mapeamento do analfabetismo no bairro e o crescimento populacional: “Não imaginava que os números fossem tão altos”, disse a estudante.

Para a professora e multiplicadora tecnológica Deise Mara, que coordenou o projeto, foi uma experiência marcante para todos: alunos e professores. O resultado, segundo ela,  surpreendeu a todos não apenas pelas descobertas, mas também pela qualidade do material produzido pelos alunos.