400 anos de são pedro da aldeia

É Tempo de Viver Bem

Núcleo de Atendimento à Violência Intrafamiliar aldeense comemora primeiro aniversário

Por Gabrielly Costa em 25/11/2014
Imagem da Notícia: A celebração do primeiro aniversário do Núcleo de Atendimento à Violência Intrafamiliar (NAVI) de São Pedro da Aldeia foi recheada de muita emoção e troca de experiências. O café da manhã realizado na sede do Núcleo reuniu usuários, funcionários e ex-funcionários do dispositivo. Na ocasião, foi realizada uma roda de conversas onde se buscou avaliar o serviço realizado pelo NAVI. Os usuários falaram sobre o atendimento oferecido, suas histórias de vidas, superações e a influência do dispositivo em seu dia-a-dia. Alguns deles foram acompanhados por familiares. Houve ainda o sorteio de um quadro, pintado pela estagiária de Serviço Social do Núcleo. Para a equipe multidisciplinar da unidade, o encontro foi uma grande oportunidade para avaliar suas ações, buscando fortalecer o que está dando certo.

A celebração do primeiro aniversário do Núcleo de Atendimento à Violência Intrafamiliar (NAVI) de São Pedro da Aldeia foi recheada de muita emoção e troca de experiências. O café da manhã realizado na sede do Núcleo reuniu usuários, funcionários e ex-funcionários do dispositivo. Na ocasião, foi realizada uma roda de conversas onde se buscou avaliar o serviço realizado pelo NAVI. Os usuários falaram sobre o atendimento oferecido, suas histórias de vidas, superações e a influência do dispositivo em seu dia-a-dia. Alguns deles foram acompanhados por familiares. Houve ainda o sorteio de um quadro, pintado pela estagiária de Serviço Social do Núcleo. Para a equipe multidisciplinar da unidade, o encontro foi uma grande oportunidade para avaliar suas ações, buscando fortalecer o que está dando certo.



Segundo a diretora do Programa Municipal de Saúde Mental, Rosemary Calazans Cypriano, o encontro foi bastante emocionante e produtivo. "Nós pudemos fazer algo bem pessoal para comemorar o primeiro aniversário do NAVI. Na nossa roda de conversa, perguntamos o que havia mudado na vida desse usuário envolvido no contexto de violência intrafamiliar desde que o dispositivo foi instalado e o resultado foi muito emocionante. Tivemos vários relatos, entre eles o de uma usuária dizendo que, embora ela viesse aos atendimentos, o trabalho beneficiava sua família e seus amigos também. Nós mexemos com o território, então é muito gratificante ouvir esse tipo de reconhecimento. O NAVI tem um movimento diferente dos outros dispositivos de Saúde Mental, nós atendemos e acolhemos muito mais do que aquela pessoa que está numa situação de violência intrafamiliar, nós cuidamos de toda uma dinâmica, cuidamos dela, das amigas, dos pais e dos filhos que assistiam àquela situação de forma passiva.Esse encontro foi extremamente importante para nos mostrar que estamos no caminho certo", disse.



Para Diego Alves, coordenador do dispositivo, os relatos feitos pelos usuários motivam a equipe a continuar o trabalho que vem sendo realizado, incluindo a capacitação de outros setores do Governo. "Quando uma pessoa está envolvida no contexto de violência intrafamiliar, a família toda adoece junto. São diversos conflitos que precisam de uma intervenção. Temos usuários superando traumas que parecem pequenos, mas que impactavam muito em suas vidas. Já ouvi relatos de pessoas que não querem mais abandonar o NAVI. Sabemos que não é possível, mas é muito gratificante ouvir isso, saber que elas aderiram muito bem ao tratamento e não querem deixá-lo tão cedo. Os relatos de nossos usuários mexem com a equipe e nos motiva a continuar o trabalho", falou.


Lívia Pinheiro, psicóloga do NAVI, lembra que o Núcleo é um dispositivo de acolhimento e que todas as pessoas que o procurarem serão acolhidas em suas demandas. "Nós não fazemos nada sozinhos, o NAVI depende da disponibilidade desse sujeito de querer mudar. Nós fornecemos todo o instrumental, mas eles precisam nos ajudar e se ajudar. Nossa comemoração de um ano foi um encontro bastante gratificante e produtivo, onde pudemos reavaliar muitas de nossas ações, fortalecer que está dando certo e repensar o que talvez não esteja tão legal assim", disse.



Pioneiro na região, o Núcleo de Atendimento à Violência Intrafamiliar é um dispositivo de acolhimento e tratamento. Todas as pessoas envolvidas no contexto de violência intrafamiliar, caracterizada pela agressão física, sexual e psicológica entre pessoas de um mesmo ambiente de convívio, seja social ou familiar, podem ser acolhidas e tratadas no NAVI, desde a vítima até o agressor.


"Toda atividade em grupo é sempre muito boa. Nosso encontro foi bem focado nas situações que os usuários estavam vivenciando na época que vieram para cá, houve muita troca de experiências. Foi uma reunião muito emocionante para todos falarem de suas experiências, que foram tão traumáticas, e de como o NAVI ajudou a superar essas questões", disse Maria Helena Marinho, Assistente Social do Núcleo.


O Núcleo de Atendimento à Violência Intrafamiliar é formado por uma equipe multidisciplinar, composta por advogado, psicóloga, assistente social e terapeuta ocupacional, além da coordenação e da equipe de apoio administrativo. A estrutura do prédio de dois andares compreende sala de oficinas, sala de recursos, recepção, cozinha, que também é utilizada para a realização de oficinas culinárias, sala de coordenação, sala de psicologia e serviço social, banheiros e a sala da assessoria de gestão. O NAVI funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, na Rua Adolfo Silveira, nº 59, no Centro da cidade. Violência urbana e de trânsito não fazem parte da área de atendimento do Núcleo.