400 anos de são pedro da aldeia

É Tempo de Viver Bem

Núcleo de Atendimento à Violência Intrafamiliar comemora um ano de funcionamento

Por Gabrielly Costa em 30/10/2014
Imagem da Notícia: A Prefeitura de São Pedro da Aldeia, por meio da Secretaria de Saúde e do Programa Municipal de Saúde Mental, vai promover um encontro em comemoração ao primeiro aniversário do Núcleo de Atendimento à Violência Intrafamiliar (NAVI), nesta sexta-feira (31). O evento acontecerá na parte da manhã, das 9h às 12h, na sede da unidade. Na ocasião, será oferecido um café da manhã, com roda de conversa e oficina terapêutica. Priorizando a privacidade de todos, a ação é direcionada exclusivamente aos usuários. Pioneiro na região, o NAVI aldeense é um dispositivo de acolhimento e tratamento. Todas as pessoas envolvidas no contexto de violência intrafamiliar, caracterizada pela agressão física, sexual e psicológica entre pessoas de um mesmo ambiente de convívio, seja social ou familiar, podem ser acolhidas e tratadas no local, desde a vítima até o agressor. O Núcleo funciona de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, na Rua Adolfo Silveira, nº 59, no Centro da cidade. Vale lembrar que violência urbana e de trânsito não fazem parte da área de atendimento do NAVI.

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia, por meio da Secretaria de Saúde e do Programa Municipal de Saúde Mental, vai promover um encontro em comemoração ao primeiro aniversário do Núcleo de Atendimento à Violência Intrafamiliar (NAVI), nesta sexta-feira (31). O evento acontecerá na parte da manhã, das 9h às 12h, na sede da unidade. Na ocasião, será oferecido um café da manhã, com roda de conversa e oficina terapêutica. Priorizando a privacidade de todos, a ação é direcionada exclusivamente aos usuários. Pioneiro na região, o NAVI aldeense é um dispositivo de acolhimento e tratamento. Todas as pessoas envolvidas no contexto de violência intrafamiliar, caracterizada pela agressão física, sexual e psicológica entre pessoas de um mesmo ambiente de convívio, seja social ou familiar, podem ser acolhidas e tratadas no local, desde a vítima até o agressor. O Núcleo funciona de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, na Rua Adolfo Silveira, nº 59, no Centro da cidade. Vale lembrar que violência urbana e de trânsito não fazem parte da área de atendimento do NAVI.



Diretora do Programa Municipal de Saúde Mental, Rosemary Calazans Cypriano fala sobre a iniciativa. "Nós convidamos os usuários do NAVI para participar de uma manhã conosco, com roda de conversas e oficina terapêutica. Vamos comemorar esse primeiro aniversário do Núcleo de forma mais interna. Tivemos o cuidado de pensar num evento um pouco mais particular, porque abrir a celebração para outras pessoas seria expor os nossos usuários que sofrem violência, e o dispositivo busca sempre agir com base nesse cuidado de proteção. O NAVI é um dispositivo de acolhimento e tratamento, é para tratar das pessoas que sofrem algum tipo de violência intrafamiliar. Nós montamos serviços para gerar mudanças, queremos trabalhar para que as situações no município possam mudar. É importante ouvir os usuários que passaram pelo Núcleo durante esse primeiro ano para fazer uma avaliação da unidade, do serviço oferecido e do trabalho realizado", afirmou.


O Núcleo de Atendimento à Violência Intrafamiliar é formado por uma equipe multidisciplinar, composta por assessoria jurídica, psicologia, terapia ocupacional e serviço social, além da coordenação e da equipe de apoio administrativo. A estrutura do prédio de dois andares compreende sala de oficinas, sala de recursos, recepção, cozinha, que também é utilizada para a realização de oficinas culinárias, sala de coordenação, sala de psicologia e serviço social, banheiros e a sala da assessoria de gestão.


Coordenador do dispositivo, Diego Alves fala sobre o funcionamento do NAVI. "Qualquer pessoa pode ser vítima ou autor de violência, portanto, todas as pessoas envolvidas no contexto de violência intrafamiliar podem ser acolhidas e tratadas no Núcleo, desde a vítima até o agressor. Sabemos que os grupos mais vulneráveis a esse tipo de violência são crianças, mulheres, adultos, idosos e portadores de necessidades especiais. Nós realizamos atendimentos agendados com um profissional. Os acolhimentos podem acontecer a qualquer momento, seja por demanda espontânea ou referenciada pela rede. O dispositivo tem várias portas de entrada, como o CRAS, o Pronto Socorro, O CREAS e a UPA. Sabemos que a violência é crescente, por isso, é preciso que nosso trabalho seja permanente", afirmou.