400 anos de são pedro da aldeia

É Tempo de Viver Bem

Obras no Camerun começam hoje

Por Renato Silveira em 05/09/2013
Imagem da Notícia: A Prefeitura de São Pedro da Aldeia, através da Secretaria de Ambiente, Lagoa, Pesca e Serviços Públicos, reuniu-se com os pescadores da comunidade Camerun, no Porto da Aldeia, para definir detalhes do início das obras do rancho de pesca, prevista, através de Termo de Ajuste de Conduta (TAC) com o Ministério Público Federal (MPF),para ser iniciada em 23 de setembro. A construção será feita através de compensação ambiental paga pela firma responsável pelo projeto “Minha Casa, Minha Vida”, do Poço Fundo.

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia, através da Secretaria de Ambiente, Lagoa, Pesca e Serviços Públicos, reuniu-se com os pescadores da comunidade Camerun, no Porto da Aldeia, para definir detalhes do início das obras do rancho de pesca, prevista, através de Termo de Ajuste de Conduta (TAC) com o Ministério Público Federal (MPF),para ser iniciada em 23 de setembro. A construção será feita através de compensação ambiental paga pela firma responsável pelo projeto “Minha Casa, Minha Vida”, do Poço Fundo.

 

De acordo com a secretária Adriana Saad, para que as obras sejam iniciadas, alguns ranchos terão de ser retirados imediatamente e, para que o material desses pescadores não fique sem abrigo, a Prefeitura irá disponibilizar um galpão provisório até que a obra, prevista para ser entregue dia 20 de dezembro, seja concluída.

“Temos de fazer a obra e ela já está assinada em TAC com o Ministério Público. Mas para isso, alguns ranchos já terão de ser retirados. Por isso, vamos dispor de um galpão provisório para esses pescadores ‘ afirmou.

 

Segundo Adriana, assim que os novos ranchos e o entreposto de pesca estejam concluídos, os pescadores irão administrar o local e não poderão vende-lo sobre nenhuma hipótese.

“É uma obra feita com dinheiro público e só pode ser passada de pai pra filho, em caso de aposentadoria dó primeiro. Também não poderá servir de moradia” explicou.

Adriana explicou também que, através do TAC, os moradores da comunidade que não possuem rancho de pesca serão deslocados para o “Minha Casa, Minha Vida”, do Poço Fundo, em 20 de dezembro, assim que estiverem cumpridas todas as exigências cadastrais junto á Secretaria de Assistência Social Direitos Humanos e Habitação.