400 anos de são pedro da aldeia

É Tempo de Viver Bem

Prefeitura aldeense realiza palestra "Transvisibilidade e 'Cistema': Compreensão para Inclusão"

Por Luana Macêdo em 30/01/2017
Imagem da Notícia: A Prefeitura de São Pedro da Aldeia, por meio da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos promoveu nesta segunda-feira (30) a palestra “Transvisibilidade e ‘Cistema’: Compreensão para Inclusão". O evento, que contou com assistentes sociais, pedagogos e psicólogos da rede pública de assistência, lembrou o Dia da Visibilidade Trans, celebrado no último domingo (29). O encontro foi conduzido pela palestrante Sara Wagner Pimenta Gonçalves Jr.


 

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia, por meio da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos promoveu nesta segunda-feira (30) a palestra “Transvisibilidade e ‘Cistema’: Compreensão para Inclusão". O evento, que contou com assistentes sociais, pedagogos e psicólogos da rede pública de assistência, lembrou o Dia da Visibilidade Trans, celebrado no último domingo (29). O encontro foi organizado pela Coordenadoria de Políticas LGBT e conduzido pela palestrante Sara Wagner Pimenta Gonçalves Jr.



O Dia Nacional da Visibilidade de Travestis e Transexuais marca a luta pelos direitos humanos e respeito à identidade de gênero, em busca do direito à vida sem preconceito e discriminação.  A data é celebrada desde 2004, quando o Ministério da Saúde e entidades da sociedade civil lançaram a campanha “Travesti e Respeito”. 



“Estamos com as políticas públicas LGBT acopladas à nossa Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos, nós queremos fazer esse trabalho de conscientização e esclarecimento que é de suma importância. Essas são as primeiras ações, mas tenho certeza que faremos muito mais pela população”, afirmou Wânia Arruda, Coordenadora das proteções Básica e Especial. 



“É importante discutirmos esses temas, pois não é ignorando uma coisa que ela deixa de existir. Não é porque deixamos de ver os assassinatos, páginas policiais e as coisas horríveis que vem acontecendo, que elas não existem. Estamos falando de crianças, adolescentes, pessoas que não têm uma formação ainda, que não sabem para onde ir. Imagine um adolescente sem informação, o quanto ficam vulneráveis para possibilidades negativas na sua vivência. Precisamos colocar isso em discussão, principalmente para que haja a compreensão de pais que têm esse enfrentamento com filhos gays, trans, lésbicas, bissexuais ou com filhos que não pertencem a nenhum desses padrões. São heterossexuais que, por uma imposição e um chamamento, se adequam a certas verdades das quais não fazem parte”, destacou a palestrante Sara Wagner. 



 “O governo do Prefeito Cláudio Chumbinho abre um precedente muito importante para essa população trans, uma parcela que vem sendo dizimada por crimes de ódio. Quando o Prefeito tem essa atitude, ele permite que pessoas diferentes integrem potencialmente e plenamente as políticas públicas da cidade. Isso me qualifica como cidadã. Hoje eu posso falar que sou professora, transexual e cidadã do município de São Pedro da Aldeia, porque tenho um Prefeito que me reconhece como mulher trans, não ignora, sabe que existo”, finalizou Sara.