Brasão da Prefeitura Municipal de São Pedro da Aldeia com fita azul dedicado ao mês de Novembro em razão da campanha Novembro Azul.

Trabalho e desenvolvimento

Prefeitura aldeense realiza prestação de contas quadrimestral

Por Renato Silveira em 25/02/2016
Imagem da Notícia: Obedecendo à Lei de Responsabilidade Fiscal, a Prefeitura de São Pedro da Aldeia, através da Controladoria Geral, realizou na tarde desta quinta-feira (25) a Audiência Pública de Prestação de Contas do terceiro quadrimestre do exercício de 2015. Os números serão piblicados no Portal da Transparência.

Obedecendo à Lei de Responsabilidade Fiscal, a Prefeitura de São Pedro da Aldeia, por meio da Controladoria Geral, realizou na tarde desta quinta-feira (25) a Audiência Pública de Prestação de Contas do terceiro quadrimestre do exercício de 2015. Os números serão piblicados no Portal da Transparência.


O prefeito Cláudio Chumbinho falou sobre a importância da prestação de contas.


“Cumprimos a legislação e mostramos, nesta cerimônia, como estamos lidando com o dinheiro dos nossos munícipes e com todas as dificuldades de um país em crise, estamos conseguindo alcançar bons resultados” afirmou.


Mesmo com a queda no repasse dos royalties, que levou a uma pequena diferença entre a previsão orçamentária e a real arrecadação, houve aumento, tanto nos repasses constitucionais (na ordem de cerca de 6%), quanto na arrecadação própria (cerca de 11%).


O município investiu em Saúde 32% de seu orçamento, índice acima dos 15% obrigatórios por lei. O investimento maior repetiu-se na Educação, com obrigatoriedade de 25% e gasto de cerca de 30%.


Na despesa com pessoal, o município, tomando as necessárias medidas, reduziu a despesa de 56% para 52%, dentro do limite constitucional, que é de 54%.


Saúde também realiza prestação de contas


O secretário de Saúde Luís Cláudio Sartori também prestou contas dos serviços realizados pela Secretaria no terceiro quadrimestre de 2015.


Sartori destacou o investimento de 32% em Saúde feito pelo município, bem acima dos 15% obrigatórios e também maior do que a grande maioria dos municípios, que é entre 17% e 22%.


‘Operamos dentro do limite das finanças do município, sabendo que apenas cidades com maior robustez orçamentária aplicam acima de 27%. O esforço feito pela municipalidade é grande para chegarmos nesse número” explicou