400 anos de são pedro da aldeia

É Tempo de Viver Bem

Prefeitura aldeense traz empresas e investe nos micro e pequenos empresários em 2013

Por Luana Macêdo em 30/12/2013
Imagem da Notícia: A Prefeitura de São Pedro da Aldeia, através da secretaria de Turismo e Desenvolvimento Econômico, investiu na geração de empregos e nos micro e pequenos empresários. Em 2013, o município recebeu eventos voltados para a melhoria nas relações comerciais e empresas que se instalaram em São Pedro da Aldeia.


 A Prefeitura de São Pedro da Aldeia, através da secretaria de Turismo e Desenvolvimento Econômico, investiu na geração de empregos e nos micro e pequenos empresários. Em 2013, o município recebeu eventos voltados para a melhoria nas relações comerciais e de empresas que se instalaram em São Pedro da Aldeia.


Reforçando as relações com os micro e pequenos empresários individuais (MEI), o município aldeense inaugurou a 22ª Delegacia da Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro. Em cerca de quatro meses de funcionamento em São Pedro da Aldeia, a 22ª Jucerja, realizou mais de 1685 atendimentos. Ainda nos investimentos para o MEI, o município sediou a Semana da Empresa Bacana, em parceria com o Sebrae. No total, 2029 atendimentos foram realizados e 372 formalizações de micro e pequenos empresários. A parceria com o Sebrae se estendeu durante todo o ano, marcada pelas quatro edições da Oficina Sei. A capacitação foi direcionada para o Micro Empreendedor Individual, visando o aumento na  competitividade de mercado.



Nos investimentos para aumentar a geração de empregos no município, São Pedro da Aldeia inaugurou o primeiro polo automotivo, com a abertura da primeira concessionária Renault. No bairro Jardim Morada da Aldeia, o polo logístico empresarial inaugurou uma empresa alimentícia.

Trazendo a eco-energia para São Pedro da Aldeia, a Prefeitura aldeense oficializou parceria para instalação de três empresas de energias renováveis no município. Na área, localizada no bairro São Matheus, funcionarão empresas produtoras de painéis fotovoltaicos, mini-usinas eólicas e inversores. A previsão é de que as empresas estejam instaladas e em funcionamento em no máximo dois anos. Técnicos formados na Itália se encarregarão de capacitar à mão de obra aldeense que ocupará os demais empregos gerados posteriormente.