Brasão da Prefeitura Municipal de São Pedro da Aldeia com fita rosa dedicado ao mês de Outubro em razão da campanha Outubro Rosa.

Trabalho e desenvolvimento

Prefeitura de São Pedro da Aldeia realiza reunião com o Banco Mundial em prol do projeto da Aroeira

Por Luana Macêdo em 10/10/2018
Imagem da Notícia: A Prefeitura de São Pedro da Aldeia, por meio da Secretaria de Agricultura, Abastecimento, Trabalho e Renda, promoveu uma reunião entre representantes do Banco Mundial, os agricultores familiares do Assentamento Ademar Moreira e outros órgãos envolvidos no projeto de regulamentação da cadeia produtiva da Aroeira na cidade. O encontro aconteceu na sede da Associação de Lavradores Assentamento Ademar Moreira (ALAAM), no bairro São Mateus, e abordou ainda os benefícios promovidos pelo programa estadual de renda direta, o "Rio Rural".

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia, por meio da Secretaria de Agricultura, Abastecimento, Trabalho e Renda, promoveu uma reunião entre representantes do Banco Mundial, os agricultores familiares do Assentamento Ademar Moreira e outros órgãos envolvidos no projeto de regulamentação da cadeia produtiva da Aroeira na cidade. O encontro aconteceu na sede da Associação de Lavradores Assentamento Ademar Moreira (ALAAM), no bairro São Mateus, e abordou ainda os benefícios promovidos pelo programa estadual de renda direta, o "Rio Rural".

Durante o encontro, foram destacadas as etapas da cadeia produtiva da Aroeira, conhecida como pimenta rosa, abordando os procedimentos de extração, o cenário atual de retirada e manejo do produto, exposição de vídeos de treinamento e cursos promovidos com os assentados, além de uma roda de conversa entre os técnicos envolvidos no processo de regulamentação e os agricultores familiares. A reunião contou ainda com uma visita campal em áreas próximas à sede da ALAAM.

O secretário de Agricultura, Abastecimento, Trabalho e Renda, Dimas Tadeu, ressaltou a importância do encontro.

“Foi um momento em que pudemos apresentar esse projeto da cadeia produtiva da Aroeira e eles conseguiram perceber o pioneirismo no Estado e no Brasil. Os técnicos puderam ter contato com os produtores, que formam o nosso principal público-alvo, para a melhoria do padrão de vida dos agricultores familiares, coletores de Aroeira, a começar pelos integrantes do Assentamento Ademar Moreira. O Banco Mundial veio fazer uma avaliação do andamento do projeto, para consolidar a liberação de mais um recurso e também de projetos que serão prioritários para a continuidade desse trabalho a partir de 2019”, disse.

A especialista ambiental da equipe do Banco Mundial, Kátia Medeiros, destacou as ações de acompanhamento e avaliação do programa "Rio Rural" em São Pedro da Aldeia.

“Essa foi uma visita técnica de acompanhamento das ações do programa Rio Rural, o Banco Mundial costuma vir a cada seis meses. Como o programa está fechando ao final desse ano, a vinda a São Pedro da Aldeia é uma missão de avaliação para também entendermos o ponto de vista dos beneficiários, além de avaliarmos ainda de que forma o programa ajudou na qualidade de vida, no empreendimento, como está a questão ambiental, e a forma como está sendo tratada. São Pedro da Aldeia é um excelente exemplo por estarem fazendo o manejo florestal, que trouxe todo esse avanço para a melhoria da qualidade da Mata Atlântica”, destacou a especialista.

Superintendente de Desenvolvimento Sustentável do Estado do Rio de Janeiro, Adriano Martins enalteceu o pioneirismo do trabalho em prol da Aroreira no município.
 

“O programa 'Rio Rural' tem como pressuposto que o planejamento local e a tomada de decisão para resolver os problemas que são diagnosticados sejam discutidos na base, com os beneficiários. A proposta de desenvolver o projeto da cadeia produtiva de Aroeira tem uma singularidade para o 'Rio Rural', em função da sua proposta de atuação que é voltada para o desenvolvimento sustentável. Essa evolução se faz também com autogestão dos projetos, aqui temos essas características trabalhando o desenvolvimento rural sustentável, dando oportunidade de as pessoas se colocarem em um segmento específico de grande valor agregado, com agricultores que estão diretamente envolvidos em uma atividade organizada. Sobretudo, com o plano de manejo para a extração sustentável do produto. Consideramos ainda o aspecto do pioneirismo, o plano de manejo da Aroeira é o único no Brasil com participação de diversas instituições do setor. Esse projeto está servindo de laboratório para ser observado como experiência por outros estados”, destacou o superintendente.

A reunião contou com a presença de representantes do Instituto Estadual do Ambiente (INEA), Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (EMATER-Rio), Sindicato Rural de Araruama, Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) e da Superintendência de Desenvolvimento Sustentável (SEAPA), além de técnicos da Secretaria de Agricultura de Abastecimento, Trabalho e Renda (SAGAT), todos envolvidos na avaliação e promoção da cadeia produtiva da Aroeira em São Pedro da Aldeia.