400 anos de são pedro da aldeia

É Tempo de Viver Bem

Prefeitura implanta “Família Acolhedora” em São Pedro da Aldeia

Por Gabrielly Costa / Luana Macêdo em 31/07/2014
Imagem da Notícia: A Prefeitura de São Pedro da Aldeia, por meio da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos, implantou em São Pedro da Aldeia o “Família Acolhedora”. Desenvolvido pelo Ministério Público, o programa é um serviço de acompanhamento, organização e acolhimento temporário de crianças afastadas da família, por medidas de proteção. Vale destacar que o programa federal não permite processo de adoção, por isso, famílias que têm intenção de adoção não podem participar.

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia, por meio da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos, implantou em São Pedro da Aldeia o “Família Acolhedora”.  Desenvolvido pelo Ministério Público, o programa é um serviço de acompanhamento, organização e acolhimento temporário de crianças afastadas da família, por medidas de proteção. Vale destacar que o programa federal não permite processo de adoção, por isso, famílias que têm intenção de adoção não podem participar.



Subsecretária de Assistência Social e Direitos Humanos, Olívia Sá discorre sobre a iniciativa. “Esse programa do Ministério Público propõe que famílias dentro de um perfil específico venham a se tornar família acolhedora e recebam crianças que estão temporariamente apartadas de sua família de origem, em situação de abrigo. Essa iniciativa é doação de amor e as famílias que têm intenção de adoção não podem se tornar família acolhedora. Crianças e adolescentes têm direito ao convívio familiar e comunitário. Direito a vivenciar a estrutura, o convívio e a rotina de uma família no lar, mesmo que esse não seja o lar dele para sempre”, disse.


O programa “Família Acolhedora” envolve acompanhamento socioassistencial às famílias acolhedoras, crianças acolhidas e famílias de origem. O serviço em São Pedro da Aldeia atende crianças de 0 a 5 anos de idade, selecionadas por profissionais da Assistência Social. Os menores permanecerão nos novos lares por até seis meses. As famílias interessadas devem fazer cadastro no Centro de Referência Especializado da Assistência Social (CREAS), localizado na Travessa Getúlio Vargas, nº 300, Centro, portando a devida documentação. São exigidos documentos de RG, CPF, comprovantes de residência e rendimentos, certidão negativa de antecedentes criminais e atestado de saúde física e mental.


Para ser um acolhedor, o candidato deve ser casado (a) ou solteiro (a), ter entre 25 e 55 anos, estar em boas condições de saúde física e mental, não possuir antecedentes criminais, ter situação financeira estável, convivência familiar estável e livre de pessoas dependentes de substâncias entorpecentes e ter residência fixa em São Pedro da Aldeia. 


Representantes da pasta estão realizando palestras em escolas, entidades não-governamentais e religiosas para não somente motivar as famílias a participarem do programa, mas também informá-las. O Programa Família Acolhedora tem como objetivo garantir o convívio familiar e comunitário de crianças em risco pessoal e social, afastadas temporariamente das famílias; preservar os vínculos com a família de origem; tentar reverter a situação que originou esse afastamento da família de origem e reintegrar a criança à família de origem.