400 anos de são pedro da aldeia

É Tempo de Viver Bem

Projeto “Viver Bem Feliz’ encerra primeira etapa no CRAS Morro do Milagre

Por Renato Silveira em 12/07/2013
Imagem da Notícia: O projeto “Viver Bem Feliz”, voltado para a melhor idade e idealizado pela Prefeitura de São Pedro da Aldeia, através da Secretaria de Assistência Social, Direitos Humanos e Habitação, chegou ao final de sua primeira etapa na tarde desta quinta-feira (11), com uma grande festa no Centro de Referência e Assistência Social (CRAS) do Morro do Milagre.

O projeto “Viver Bem Feliz”, voltado para a melhor idade e idealizado pela Prefeitura de São Pedro da Aldeia, através da Secretaria de Assistência Social, Direitos Humanos e Habitação, chegou ao final de sua primeira etapa na tarde desta quinta-feira (11), com uma grande festa no Centro de Referência e Assistência Social (CRAS) do Morro do Milagre.



A coordenadora do CRAS, Carla Barbosa, afirmou que, embora o projeto “Viver Bem Feliz” seja voltado para a melhor idade, resolveu abrir a festa para toda a comunidade do Morro que, segundo ela, tem excelente participação e presença nas atividades do Centro de Referência.



“Eu gosto assim, da comunidade presente, da participação dos jovens, dos adultos. Programamos muita música, dança e até uma quadrilha improvisada para animar esse fim de tarde” afirmou.


De acordo com a secretária Sandra Coelho, a Sandra de Badú, chegar a unidade CRAS do Morro do Milagre e verificar toda a alegria da comunidade é algo que não tem preço.



“A gente chega aqui, no final do expediente e é recebido com um abraço e uma declaração de que o nosso serviço resgatou a dignidade de uma pessoa. Só isso já faz valer a pena o nosso trabalho” afirmou.


Sandra referiu-se a aposentada Maria de Fátima, que antes de conhecer o projeto, comentou com a secretária sobre a depressão que vinha sentindo, com falta de estímulo para continuar vivendo e foi encaminhada para o CRAS, que,.segundo ela, salvou sua vida.


A  aposentada Maria Raimunda é outra que não perde nenhuma atividade do Centro de Referência. Segundo ela, poucos são os que deixam de participar nos dias marcados.



“Ninguém gosta de perder as atividades e quando não é possível aparecer em um dia, aparece-se em outro. Isso aqui é muito bom” festejou.