400 anos de são pedro da aldeia

É Tempo de Viver Bem

São Pedro da Aldeia comemora Dia da Consciência Negra com evento cultural

Por Mônica Marins em 21/11/2013
Imagem da Notícia: O evento que lembrou o Dia da Consciência Negra foi realizado nesta quinta-feira (21) no Teatro Municipal Dr. Átila Costa. Com apresentações de diversas manifestações culturais como música, dança, exibição de vídeo e apresentação de Capoeira, o projeto: “Diversidade: O Brasil de todos nós” marcou as comemorações do Dia de Zumbi dos Palmares, em São Pedro da Aldeia.

O evento que lembrou o Dia da Consciência Negra foi realizado nesta quinta-feira (21) no Teatro Municipal Dr. Átila Costa. Com apresentações de diversas manifestações culturais como música, dança, exibição de vídeo e apresentação de Capoeira, o projeto: “Diversidade: O Brasil de todos nós” marcou as comemorações do Dia de Zumbi dos Palmares, em São Pedro da Aldeia. 

Autoridades estaduais e municipais, representantes de movimentos sociais, membros do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), alunas do curso Normal do Colégio Estadual Dr. Feliciano Sodré, diretores de escolas, representante do Conselho Tutelar e servidores da Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer prestigiaram o evento.

No início da solenidade, a educadora social Luciana Silva interpretou o Hino Nacional Brasileiro. O secretário de Educação, Cultura, Esporte e Lazer de São Pedro da Aldeia professor Evaldo Bittencourt abriu oficialmente o evento dizendo que há uma dívida histórica e secular do país com todos aqueles que ajudaram a formar esta grande nação. A diversidade cultural e a beleza da miscigenação enriquecem nossa alma de brasileiro que cada vez mais divisa novas perspectivas de correção das desigualdades. Há muitas políticas públicas  atualmente que buscam incluir os negros e reduzir o racismo e a discriminação. Homenageando todos os negros, Evaldo exaltou a força e a luta do senhor Domingos, que recebeu a homenagem de todos os presentes: "É um digno representante da nossa raça forte e guerreira", concluiu Evaldo. 

O Coordenador da Promoção da Igualdade Racial em São Pedro da Aldeia, Sergio dos Santos, disse que, segundo o ex-presidente Lula, as manifestações populares em junho desse ano, representavam o clamor dos excluídos, pois o Brasil tinha uma dívida com o seu povo: o povo miscigenado. Ele falou também das discriminações que o negro ainda sofre no Brasil, como salários menores e até exclusão em determinados postos de trabalho. Para o coordenador, o Brasil errou desde 1500, no início da construção desse País: “Os negros passam numa cortina de fumaça e não têm o reconhecimento devido a eles. Infelizmente o racismo que existe no Brasil ainda é velado”, disse. 

O vereador Adalberto dos Santos falou que pedir perdão aos irmãos negros pelas injustiças cometidas pelo Brasil é muito pouco. Segundo o vereador é necessário que todos lutem contra a desigualdade racial.

De acordo com a chefe do IPHAN de São Pedro da Aldeia, Gabriela Silgueiro, o patrimônio imaterial do Brasil deve ser valorizado: “São pessoas como os negros e índios que construíram o País. É preciso incorporar esse patrimônio negro ao Brasil, precisamos descobrir e aprender o que os negros trazem para nós, enfim precisamos divulgar e incluir”, disse Gabriela.

O vice prefeito Iédio Rosa, que representou o prefeito Claudio Chumbinho iniciou o discurso expressando a satisfação do governo municipal em promover um evento tão importante.  Para Iédio, promover a igualdade racial também é dever dos governantes: “A nossa missão é administrar bem a cidade, sob todos os aspectos”, disse. Feliz com o sucesso da administração municipal nesses quase 12 meses, Iédio disse que a população está aplaudindo a gestão do prefeito Claudio Chumbinho: “O nosso governo é composto por pessoas que têm o desejo de acertar a cada dia, por isso estamos sendo aplaudidos pelo nosso povo”, disse.

Após os discursos a educadora Luciana Silva voltou ao palco; desta vez ela interpretou Dona Ivone Lara com a música “Sorriso Negro”. Alunos da E.Mz. Paulo Roberto Marinho, acompanhado do grupo Tigres da Aldeia fizeram uma representação musical afro.  Um documentário produzido por alunos da Educação para Jovens e Adultos (EJA) da E.M. Quilombola Dona Rosa Geralda da Silveira, através da oficina AutoDoc do IPHAN, mostrou histórias vividas da comunidade Quilombola de Botafogo. O vídeo denominado “A conquista”, emocionou a plateia.

O Centro Cultural Senzala de Capoeira fez uma apresentação da dança de capoeira e o cantor Daniel com o cavaquinho e o grupo de Capoeira apresentaram dois sambas de raiz.  Um espetáculo contemporâneo de dança atraiu o público para as coreografias perfeitas do casal de dançarinos.

A programação do dia foi encerrada com as participações do senhor Francisco Silvino que falou sobre o lançamento do Circuito Etnic Beautytour, no próximo dia 27 em São Pedro da Aldeia e com a palestra do Superintendente Estadual da Promoção da Igualdade Racial Marcelo Dias. O superintendente deu destaque à lei 10.639 que tornou obrigatório o ensino sobre História e Cultura-Afro Brasileira nas escolas. Ele lamentou o fato da lei não ser ainda aplicada em todas as escolas do estado do Rio de Janeiro. Marcelo Dias citou que o estado do Rio de Janeiro tem servido de exemplo para o Brasil, nos avanços nas políticas públicas de Igualdade Racial e parabenizou o município aldeense pela iniciativa de criar o Plano Municipal de Igualdade Racial.   

A programação comemorativa do Dia da Consciência Negra segue amanhã (sexta-feira) e sábado(23) na E.M. Quilombola, em Botafogo.