Brasão da Prefeitura Municipal de São Pedro da Aldeia com fita azul dedicado ao mês de Novembro em razão da campanha Novembro Azul.

Trabalho e desenvolvimento

São Pedro da Aldeia sedia encontro regional sobre Programa de Ocupação Cultural

Por Gabrielly Costa em 19/10/2017
Imagem da Notícia: Foi realizado na terça-feira (18), em São Pedro da Aldeia, o encontro regional da Baixada Litorânea sobre o Programa de Ocupação Cultural do Estado do Rio de Janeiro (POC RJ). A reunião aconteceu durante o encontro do Fórum Permanente de Cultura da Baixada Litorânea, no Cine Estação, e teve como objetivo divulgar informações e prestar esclarecimentos acerca do projeto estadual. Estiveram presentes no evento o secretário de Estado de Cultura, André Lazaroni, a secretária municipal de Cultura, Edlúcia Marques, e representes de nove municípios da região.

Foi realizado na terça-feira (18), em São Pedro da Aldeia, o encontro regional da Baixada Litorânea sobre o Programa de Ocupação Cultural do Estado do Rio de Janeiro (POC RJ). A reunião aconteceu durante o encontro do Fórum Permanente de Cultura da Baixada Litorânea, no Cine Estação, e teve como objetivo divulgar informações e prestar esclarecimentos acerca do projeto estadual. Estiveram presentes no evento o secretário de Estado de Cultura, André Lazaroni, a secretária municipal de Cultura, Edlúcia Marques, e representes de nove municípios da região.



A reunião teve início com o informe dos municípios integrantes do Fórum Permanente, momento em que cada participante fez um breve panorama do setor em seus municípios. A secretária adjunta de Cultura, Edlúcia Marques, falou sobre as ações da pasta. “A nossa Secretaria tem andado junto com o Conselho de Cultura, que é muito atuante. São Pedro da Aldeia tem surpreendido a cada ação realizada nos últimos nove meses. A Casa de Cultura está sempre aberta com trabalhos lindíssimos, a Festa do Folclore foi um sucesso e a nossa Conferência Municipal está prevista para acontecer em novembro”, comentou.



Em seguida, os representes da Secretaria de Estado de Cultura (SEC RJ) conduziram a explanação acerca do POC RJ. O Programa é uma ação inédita no Estado do Rio de Janeiro, que visa a destinação do uso de imóveis ociosos e/ou fora de uso, de propriedade do Estado, para fins culturais. A pasta recebe sugestões de possíveis imóveis para o POC RJ da sociedade civil, iniciativa privada e gestores públicos.



Secretário de Estado de Cultura, André Lazaroni falou sobre a iniciativa. “É um prazer estar mais uma vez em São Pedro da Aldeia. A ideia central do POC é ocupar de forma inteligente e juntar esforços para oferecer à população do interior e da Baixada Fluminense locais estaduais que possam e devam ser ocupados com a Cultura. Estamos lançando o Programa em todas as regiões, porque o mais importante é a mobilização”, declarou.



Na ocasião, foram apresentados todos os pontos referentes ao Programa, passando pela definição do projeto, destinação dos imóveis, critérios de avaliação e o trabalho integrado. O uso dos imóveis incluídos no POC RJ prioriza a instalação de Salas de Leituras e Espaço Multi Cultural. A apresentação foi organizada por representantes da equipe de Políticas Públicas da SEC RJ, Cleise Campos e Leonardo Saboia, e o assessor Carlos Cavalcante. 



De acordo com Cleise Campos, o Programa passa por várias etapas, dentre elas a aceitação de sugestão do imóvel e o mapeamento das áreas, além das visitas técnicas aos prédios. 



“Todas as 10 regiões do Estado serão servidas pelo POC. A Secretaria Estadual de Cultura passará a ter cessão dos imóveis durante 20 anos, renováveis por mais 20 anos. Temos quatro eixos de atuação que foram pensados dentro da linha do Plano Estadual de Cultura e também no que agrega valor para cada cidade”, explicou Cleise.



O Programa de Ocupação Cultural do Estado do Rio de Janeiro é norteado pelos eixos Difusão, Formação, Produção e Sustentabilidade. Um Termo de Parceria será assinado para validar a gestão compartilhada do imóvel entre o titular da SEC RJ, Prefeitos ou responsáveis pelas instituições culturais (sem fins lucrativos ou da iniciativa privada) pelo período mínimo de três anos, renováveis por igual período.