Brasão da Prefeitura Municipal de São Pedro da Aldeia com fita azul dedicado ao mês de Novembro em razão da campanha Novembro Azul.

Trabalho e desenvolvimento

Banner: Processo Seletivo Simplificado da Secretaria de Saúd

Secretaria de Assistência Social aldeense fala sobre o Dia da Visibilidade Lésbica

Por SASDH em 30/08/2017
Imagem da Notícia: A Prefeitura de São Pedro da Aldeia, por meio da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos, participa ativamente da luta contra o preconceito aos gêneros sexuais. Por isso, não poderia deixar passar em branco o dia 29 de agosto, data em que se comemora o Dia Nacional da Visibilidade Lésbica no Brasil.



A Prefeitura de São Pedro da Aldeia, por meio da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos, participa ativamente da luta contra o preconceito aos gêneros sexuais. Por isso, não poderia deixar passar em branco o dia 29 de agosto, data em que se comemora o Dia Nacional da Visibilidade Lésbica no Brasil.

O engajamento do município é marcante, tanto que criou a Coordenadoria de Políticas Públicas LGBT. "Combatemos todas as formas de preconceitos. Trabalhamos de forma técnica, realizamos eventos de conscientização, palestras, participação ativa junto a sociedade, por meio de ações sociais. Não poderíamos deixar de falar da importância da data, pois chama a atenção para o combate ao machismo e outras maneiras de exclusão social e violência, devido o gênero sexual ", disse a Secretária de Assistência Social e  Diretos Humanos,  Ester Marques. 

A criação data tem como principal objetivo focar na luta pelo combate contra a lesbofobia, ou seja, o preconceito contra mulheres, sem deixar de lado a importância da luta por uma geral igualdade entre os diferentes gêneros sexuais. Dia da Visibilidade Lésbica dá destaque ao papel da mulher gay que, além de enfrentar o preconceito por ser lésbica, ainda carrega uma discriminação histórica por ser mulher.

A data foi criada em 1996, durante a realização do 1º Seminário Nacional de Lésbicas (SENALE), organizado pelo Coletivo de Lésbicas do Rio de Janeiro (COLERJ).

A partir de então, o dia 29 de agosto passou a representar um marco na luta das lésbicas pela visibilidade de seus direitos e posicionamento na sociedade como mulher e gay, enfrentando a homofobia.