O Centro de Referência de Assistência Social Aníbal Martins Ferreira, CRAS do bairro São João, realizou na última sexta-feira (29), na praça do bairro, um ato contra o racismo. A ação contou com a participação do mestre de capoeira, Neguinho e com os usuários dos CRAS.  O Centro de Referência é um dos equipamentos pertencentes à Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos (SASDH).

“Foi um dia de ir para praça e falar que racismo é crime, mostrar dados alarmantes contra os negros no Brasil. Conversamos com a população, realizamos roda de conversa, canto e roda de capoeira. O preconceito e a discriminação, infelizmente, ainda estão presentes no nosso dia a dia e temos que discutir, falar sobre o assunto. A equipe do CRAS está à disposição de quem passou ou passa por isso, para ajudar no que for preciso”, explicou a Coordenadora do CRAS, Petrissiane Herdy.

        Durante o ato os usuários fizeram uma exposição de cartazes com frases que deixam claro o preconceito. Foi esclarecido, ainda, como as pessoas devem agir ao ouvi-las.

        Disque 100-  O Disque 100 recebe, analisa e encaminha denúncias de violações de direitos humanos, incluindo racismo. O canal funciona diariamente, 24 horas por dia, incluindo sábados, domingos e feriados. As ligações podem ser feitas de todo o Brasil por meio de discagem gratuita, de qualquer terminal telefônico fixo ou móvel (celular), bastando discar 100. O serviço pode ser considerado como “pronto socorro” dos direitos humanos pois atende também graves situações de violações que acabaram de ocorrer ou que ainda estão em curso, acionando os órgãos competentes, possibilitando o flagrante. O usuário disca para o número 100, passa pelo atendimento eletrônico e, após selecionar a opção desejada, é encaminhado ao atendimento humano. O atendente registra a denúncia e fornece o número do protocolo. Qualquer pessoa pode fazer uma denúncia.

Comentários
Fechar Acessibilidade