O defeso das espécies da Lagoa de Araruama, iniciado em 1º de agosto, termina à meia-noite desta quarta-feira (01). Cerca de 300 pescadores do município receberam o salário-defeso nesse período, equivalente ao piso nacional. A perspectiva é que, com o retorno dos pescadores às suas atividades, aconteça um aumento tanto no tamanho quanto na quantidade do pescado. Esse período de três meses obedece a portaria estabelecida pelo Governo Federal e a fiscalização é exercida pela Unidade de Polícia Ambiental do Rio de Janeiro (UPAM).


 

De acordo com o secretário de Agricultura, Abastecimento, Trabalho e Renda, os números de 2015 e 2016 devem se repetir ao final deste defeso.

 

“Observamos nos anos anteriores o aumento no tamanho e na quantidade de espécies como tainha, carapeba, perumbeba e outras. Em relação ao camarão, com certeza haverá aumento no tamanho do produto, mas em relação a quantidade não se pode afirmar nada ainda, pois ele é migratório e transita entre o mar e a lagoa”, explicou.

]]>

Comentários
Fechar Acessibilidade