Escola de Artes incentiva alunos a praticarem atividades em casa

Categorias

Escola de Artes incentiva alunos a praticarem atividades em casa

Para minimizar os impactos do isolamento social contra o coronavírus, a Escola de Artes de São Pedro da Aldeia encontrou uma maneira divertida de driblar a distância física e estimular a produção artística dos alunos em quarentena. Lançada no Instagram da Escola, a campanha #EscolaDeArtesEmMovimento incentiva o compartilhamento de vídeos caseiros de dança, música e teatro para mostrar que, mesmo em casa, é possível praticar arte e se manter ativo.

De acordo com a coordenadora artística da Escola de Artes, Anna Fernanda Corrêa, a proposta é manter os alunos em atividade e formar uma rede de apoio digital até que as aulas voltem à normalidade. “Essa ação foi uma forma de estarmos em contato e presentes, mesmo que não fisicamente, na vida dos alunos. Nesse momento, é muito importante estarmos ativos e nos alimentarmos de arte e de coisas boas, porque a reclusão também afeta um pouco a nossa saúde mental. Temos alunos multitalentosos e eles têm feitos vídeos bem criativos”, destacou.

Foto: Divulgação Instagram

A aluna da oficina de jazz da Escola de Artes, Camila Alecio, foi uma das primeiras a aderir ao movimento, apresentando um vídeo de dança coreana. “Eu gostei muito de ter participado, foi a primeira vez que gravei um vídeo assim e já estou treinando outras coreografias. Meu maior sonho é ser dançarina e mesmo com o coronavírus lá fora, dentro de casa eu posso dançar”, disse Camila, de 11 anos, estudante da rede pública municipal.

Camila Alecio aproveitou o espaço da sala de casa para treinar sua coreografia
Foto: Reprodução Instagram

Ao todo, seis vídeos de alunos já foram repostados pelo Instagram da Escola de Artes, gerando novos conteúdos e estimulando a produção artística em âmbito escolar.

Interação digital

A dona de casa Juliana Aud, também apoiou o #EscolaDeArtesEmMovimento. Do celular, ela gravou parte do ensaio do filho, Daniel, de 8 anos, aluno da oficina de violão. “Achei essa iniciativa muito importante porque é uma forma de incentivar as crianças a continuar praticando. Estamos vivendo uma situação de turbulência e nós, como pais e mães, temos que incentivar esse movimento, trazer jogos, brincadeiras, leituras e atividades diferentes para os nossos filhos dentro de casa”, disse a moradora.

O aluno Daniel Aud mostrou suas habilidades com o violão
Foto: Reprodução Instagram

Para a secretária adjunta de Cultura, Edlúcia Marques, a campanha digital tem sido uma forma de dar visibilidade aos talentos da cidade. “Nós, da gestão da Cultura, estamos muito felizes em ver a adesão dos alunos a esse movimento e por vê-los colocando em prática a suas vivências, seus talentos e tudo aquilo que aprenderam na escola. Nos sentimos muito orgulhosos”, completou.

Em 2019, Daniel foi um dos destaques do espetáculo de fim de ano da Escola de Artes
Foto: Arquivo

Rede de apoio

Paralelamente aos vídeos e ações educativas no Instagram, a equipe da Escola de Artes tem mantido o vínculo com os alunos utilizando um dos aplicativos de mensagens instantâneas mais populares do mundo, o WhatsApp, por meio do qual os instrutores encaminham conteúdo, textos, vídeos e trocam informações com suas turmas, organizadas em grupos.

“Tivemos pouquíssimo tempo de encontro antes da determinação de isolamento, então os grupos de WhatsApp têm sido ferramentas muito importantes e nos ajudado a manter a conexão, a proximidade com os alunos e também para que a gente consiga manter o nosso comprometimento de afeto, atenção, responsabilidade e carinho com eles. Mais do que nunca, precisamos estar juntos”, complementou a coordenadora Anna.

Foto: Divulgação

Atualmente, a Escola de Artes Municipal conta com cerca de 700 alunos inscritos, a maioria crianças e jovens, e oferece aulas gratuitas de teclado, violão, danças urbanas, dança do ventre, dança ritmos, pilates, alongamento, jazz, ballet, sapateado, teatro e desenho. O projeto, criado pela Prefeitura, existe há mais de 10 anos no município, com vagas prioritárias a estudantes de escolas públicas.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email
Fechar Acessibilidade