Procon aldeense fiscaliza redução de preços dos combustíveis

Categorias

Procon aldeense fiscaliza redução de preços dos combustíveis

Os postos de combustíveis e as distribuidoras de gás de cozinha de São Pedro da Aldeia repassaram para os consumidores, no último mês, a redução dos valores das novas tabelas de preços da Petrobras, que sofreram alteração em função da queda do valor do barril de petróleo no mercado internacional. A constatação foi feita pelo Procon aldeense que, por duas vezes, realizou operações em 18 estabelecimentos do município.

Jefferson Viana

De acordo com a assessora técnica do órgão de defesa do consumidor, Pâmela Monteiro, as operações ocorreram logo após  a Petrobras anunciar redução de valores em sua tabela. Os estabelecimentos foram notificados a apresentarem a documentação e foi comprovado repasse de redução de preço ao consumidor final.

“Observamos, nas ocasiões, uma redução dos preços. Em alguns lugares, o preço da gasolina caiu de R$ 4,999 para R$ 4,799, o litro. Em outros, nos quais o preço era de R$ 5,12 caiu para R$ 4,89. Da mesma forma agimos nas distribuidoras de gás de cozinha, onde foi constatada uma redução média de R$ 5,00. O preço do botijão foi reduzido de R$ 65 para R$ 60, em média” explicou.

Jefferson Viana

O técnico em Informática, Washington Braga, informa que observou a redução e, embora saiba que os preços na Região dos Lagos são mais altos que em outros locais, vê com alívio a prática dos preços da nova tabela.

Efeito pandemia                   

Além da atuação nessa área, a equipe do Procon também tem fiscalizado denúncias de abuso de preços em 28 estabelecimentos comerciais como supermercados e farmácias. Os principais itens fiscalizados são álcool em gel, produto com grande procura nesses tempos de pandemia e que teve aumento significativo de preço, e hortifrutigranjeiros, com alta significativa, com destaque para o alho, com aumento de mais de 100%.

Segundo Pâmela, a circulação restrita, por causa da pandemia, e a sazonalidade de alguns produtos, contribuem para a elevação dos preços das mercadorias. “Atendendo às denúncias que chegaram até nós, notificamos estabelecimentos em diversos bairros da cidade. Eles justificaram que o aumento dos preços era decorrência dos valores cobrados pelos distribuidores. Solicitamos aos responsáveis as notas fiscais e encaminhamos os casos ao Procon/RJ e ao Ministério Público”, explicou Pâmela. Com o atendimento presencial suspenso, os consumidores podem encaminhar denúncias pelos telefones (22) 26276086 ou (22) 23210848 ou

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email
Fechar Acessibilidade