Procon aldeense realiza operação no comércio

O Procon de São Pedro da Aldeia realizou, essa semana, duas operações de fiscalização no comércio da cidade. Os principais estabelecimentos comerciais visitados foram farmácias e supermercados. O Órgão de Defesa do Consumidor foi às ruas verificar se estava ocorrendo aumento abusivo de preços do álcool gel 70, utilizado na prevenção ao coronavírus, e de outras mercadorias que tiveram aumento de procura pelos consumidores.

Renato Fulgoni

Embora não tenha recebido nenhuma denúncia formal, a equipe visitou 22 estabelecimentos, 11 quarta-feira e a outra metade na quinta-feira. Além de conferir como os preços estavam sendo praticados, a ação orientou os comerciantes sobre as consequências da prática de preços abusivos. Não foram encontradas irregularidades nos estabelecimentos visitados.

Renato Fulgonii

“Precisamos que o consumidor formalize a denúncia para que possamos atuar e notificar. E com o problema do COVID 19, estamos disponibilizando o e-mail proconspa@hotmail.com. As denúncias na nossa página do Facebook também estão, excepcionalmente, sendo aceitas. O consumidor também pode ligar para o número (22) 26215848. Aliás, nesse momento, pedimos a todos que só venham presencialmente à nossa sede em casos urgentes, a fim de evitar aglomerações” explicou a assessora técnica do órgão, Pâmela Monteiro.

Renato Fulgon

Um funcionário de um supermercado, que preferiu não se identificar, afirmou que alguns preços já vêm sendo reajustados pelos fornecedores e que os comércios locais estão apenas repassando os valores. “Temos como comprovar isso com notas fiscais, mostrando que pagamos mais caro pelos produtos, portanto, temos de vender mais caro. Infelizmente isso vem acontecendo com alguns itens” contou o funcionário.

Renato Fulgoni

A dona de casa Marilza Medeiiros, do Campo Redondo, conta que procurou álccol gel em vários locais e não encontrou, mas soube que um dos lugares onde existia o produto, estava com preço abusivo. “Enquanto nos países civilizados estão abrindo mão das contas dos serviços essenciais, para aliviar as pessoas que estão com a renda comprometida, aqui no Brasil aproveitam para esculachar o povo” queixou-se.

Fechar Acessibilidade