Roda de conversa aborda dores emocionais em São Pedro da Aldeia

A tarde da quinta-feira (19), em São Pedro da Aldeia, foi marcada pela realização de uma roda de conversa sobre o tema “Como lidar com minhas dores emocionas?”. O evento, que aconteceu na Casa da Cultura Gabriel Joaquim dos Santos, reuniu 38 participantes e teve como objetivo discutir maneiras estratégicas para lidar com o sofrimento emocional. A iniciativa foi uma realização do Departamento de Psicologia da Cruz Vermelha filial aldeense, como parte de uma agenda em prol da campanha mundial de prevenção do suicídio “Setembro Amarelo”. O projeto contou com o apoio da Prefeitura, por meio da Secretaria Adjunta de Cultura.

Foto: Jefferson Viana

A diretora municipal de Cultura, Rosângela Guimarães, destacou o apoio dado pela Secretaria Adjunta de Cultura à instituição. “Temos uma parceria muito boa com a Cruz Vermelha de São Pedro da Aldeia, cedendo os nossos espaços, como o Cine Estação e a Casa da Cultura, para a realização das atividades, reuniões e cursos. Dessa vez, eles trouxeram essa roda de conversa, que abordou um assunto tão importante na atualidade, que é a gestão das emoções. A equipe de Psicologia está de parabéns por prestar esse serviço à população. Estaremos sempre de portas abertas”, disse.

Foto: Jefferson Viana

A programação contou com dinâmicas de grupo e espaço aberto para fala. Durante o encontro, foram discutidos temas como depressão, baixa autoestima, bullying no ambiente familiar, abandono e rejeição. Os participantes falaram sobre suas vivências, desafios pessoais, experiências e dificuldades. O encerramento foi marcado por uma “terapia do abraço”, leitura da poesia “Recomeço”, de Braulio Bessa, e café da tarde.

Foto: Jefferson Viana

A roda de conversa foi conduzida pela gestora do Departamento de Psicologia da Cruz Vermelha de São Pedro da Aldeia, Cecília Ferreira. “O nosso objetivo maior foi ajudar a salvar vidas e, para nós, foi extremamente gratificante estar com as pessoas, poder ouvi-las, orientá-las, acolhê-las e também compartilhar conhecimentos. Falamos sobre as dores emocionais, as palavras sabotadoras, os pensamentos e emoções automáticas negativas, que se transformam em comportamentos destrutivos e em sintomas físicos, que são a parte mais devastadora. Trabalhamos muito as estratégias de enfrentamento e todas puderam colocar suas dores; nos emocionamos muito. Agradeço o carinho que a Cultura nos deu, abrindo as portas para esse evento”, destacou a psicóloga.

Foto: Jefferson Viana

Na oportunidade, a terapeuta holística Carla Mesquita falou sobre os principais benefícios e técnicas da Terapia Holística, como a Acupuntura, os Florais, os Cristais e a Homeopatia. “Eu trabalho nessa área há pouco mais de cinco anos, me encantei e vi resultados em mim. A Terapia Holística não trata a doença, ela trata o doente, o ser humano como um todo. São diversas técnicas que buscam as causas, a cura e a satisfação pessoal, tratando primeiramente da parte mental e emocional. As pessoas precisam se conhecer, esse é o ponto de partida”, afirmou a profissional, que há três anos atua como voluntária da instituição.

Foto: Jefferson Viana

A assistente social Monique dos Santos foi uma das participantes do evento. A moradora do bairro São João elogiou a iniciativa. “As pessoas ainda têm muita dificuldade de por para a fora os seus sentimentos e essa roda ajudou muita gente a se expressar. A maioria eram mulheres e acredito que, assim como eu, cada uma delas saiu daqui com uma outra visão sobre si mesmas, com um olhar de recomeço. Foi um encontro maravilhoso e cheio de amor”, declarou.

Foto: Jefferson Viana

A previsão é de que a roda de conversa chegue, ainda, ao CIEP 146 Professor Cordelino Teixeira Paulo, no bairro Estação, ao Horto Escola Artesanal, no bairro Balneário das Conchas, na Escola de Artes Municipal, localizada no bairro Nova São Pedro, e na sede da Associação “Amigas da Mama”, no Centro da cidade. 

Foto: Jefferson Viana

A Cruz Vermelha de São Pedro da Aldeia é uma instituição de ajuda humanitária e conta, atualmente, com cerca de 120 voluntários, desenvolvendo cursos de formação, ações sociais e treinamento em primeiros socorros, entre outras atividades. A sede fica localizada na Rua Capitão Costa, s/n, no Centro da cidade (rua do campo de futebol). Os atendimentos no local acontecem das 9h às 18h30, de segunda a sexta-feira. A instituição também recebe doações de roupas, produtos de higiene pessoal e alimentos não perecíveis.

Foto: Divulgação

Comentários estão desabilitados

Fechar Acessibilidade