São Pedro da Aldeia recebe comitiva estadual para projeto em prol da recuperação de coqueirais

Categorias

São Pedro da Aldeia recebe comitiva estadual para projeto em prol da recuperação de coqueirais

O município de São Pedro da Aldeia recebeu, na última quinta-feira (14), técnicos da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento (SEAPPA) e da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-RIO) das cidades de Rio Bonito, Saquarema, Campos dos Goytacazes, Cachoeiras de Macacu, Araruama, Niterói, Quissamã e Silva Jardim, além de representantes do escritório local da Emater e da Prefeitura aldeense. O encontro foi uma iniciativa do Governo do Estado visando promover o treinamento dos profissionais extensionistas para a elaboração de projetos de recuperação de coqueirais, no âmbito do Programa Especial de Fomento Agropecuário e Tecnológico (PEFATE). O programa tem como objetivo melhorar a cadeia produtiva do coco, fortalecer a economia e qualificar a mão de obra rural em todo o Estado do Rio, com foco nos municípios da região das Baixadas Litorâneas e parte do norte fluminense. A programação também foi marcada por visitas técnicas a campos de cultivo em Cabo Frio e São Pedro da Aldeia.

Foto: Jefferson Viana

O secretário de Agricultura, Abastecimento, Trabalho e Renda, Dimas Tadeu, participou da abertura do evento. “Na Região dos Lagos, São Pedro da Aldeia é um referencial dentro da cadeia produtiva do coco, principalmente por termos uma agroindústria de beneficiamento de coco instalada aqui. Temos um grupo de produtores que já trabalham com essa atividade e a ideia, dentro do programa, é trabalhar o que nós temos hoje de lavoura, fazer a recuperação dessas áreas que já existem, melhorar a produção e o processo como um todo, identificar novas áreas com potencial de implantação da cultura e mudar a qualidade desse produto, com muito foco nas ações sustentáveis, no manejo agroecológico, na integração de mercado e na aplicação de novas tecnologias”, salientou.

Foto: Jefferson Viana

O programa disponibiliza recursos, através da abertura de linhas de financiamentos, a produtores rurais e agroindústrias para investimento e custeio de projetos agropecuários estratégicos para a economia regional, com a integração de aspectos tecnológicos de produção, ambientais e de mercado. Os projetos serão delineados segundo as diretrizes do programa “Frutificar”, criado no ano de 2000 e integrado posteriormente ao PEFATE, voltado ao aumento da produção e da produtividade de frutas, através da concessão de crédito com juros de 2% ao ano para incentivar a implantação de técnicas de fruticultura irrigada.

Foto: Jefferson Viana

Também presente no encontro, o subsecretário adjunto de Agricultura Familiar da SEAPPA, Adriano Lopes, falou sobre a iniciativa. “Nós estamos relançando os investimentos do PEFATE, da Secretaria de Estado de Agricultura, na cadeia de coco, concentrando produtores das Baixadas Litorâneas e de municípios específicos da região norte, onde nós temos as maiores concentrações de cultivo. Nesse primeiro momento, nós estamos chamando de uma ação piloto para a geração de um comportamento de vitrine nessa nova maneira de olhar o agronegócio, segmentar as cadeias produtivas e integrar a produção de base com a indústria processada e os mercados finalísticos”, destacou.

Foto: Jefferson Viana

A primeira etapa do programa envolve a capacitação dos profissionais da estrutura da Emater, que ficarão responsáveis por identificar os coqueirais existentes, as características de solo e disponibilidade de água, detalhar o sistema de cultivo, estabelecer indicadores e critérios de seleção de coqueirais, verificar a capacidade de absorção tecnológica, restabelecer as áreas de cultivo e identificar os potenciais investidores do produto. O processo vai envolver, ainda, a seleção de produtores que vão atuar como unidades didáticas e de referência tecnológica. A perspectiva é que os extensionistas visitem as propriedades rurais duas vezes por mês para a implantação dos projetos de revitalização e renovação das lavouras, com acompanhamento e assistência técnica periódicas.

Foto: Jefferson Viana

“Esse projeto tem um viés diferenciado porque existem culturas já instaladas que precisam de um investimento para que os produtores possam dar melhor resposta ao potencial produtivo e tirar o máximo de receita. Essa é uma região que nós estamos trabalhando hoje com produtividade em torno de 50 frutos/coqueiro/ano. A meta é que a gente chegue, pelo menos, a uma média de 100 frutos/coqueiro/ano. Chegando a esse nível de produtividade, certamente esses produtores terão uma rentabilidade maior e, uma vez com viabilidade técnica e econômica, eles poderão ajudar o Estado, porque eles estarão produzindo, implantando melhorias no próprio coqueiral, gerando emprego, renda e promovendo o desenvolvimento local”, afirmou o diretor técnico da Emater-Rio, João Batista Pereira.

Foto: Jefferson Viana

Além da localização estratégica do município aldeense no contexto regional, também foi tema de destaque a atenção dada pelo Poder Público Municipal ao desenvolvimento do segmento agropecuário. “Sem dúvida alguma, São Pedro da Aldeia é um dos focos de atenção dentro do nosso conjunto de realizações e essa parceria entre a Secretaria de Estado e a Secretaria Municipal vem de longa data. A municipalidade tem um comprometimento com o setor agropecuário, não só em coco, mas também com a atividade pioneira que é a pimenta rosa, que é um outro cenário muito propositivo por ser uma cultura que tem todo um viés de sustentabilidade, uma perfeita conectividade com a agricultura familiar e, sobretudo, uma expectativa de mercado grandiosíssima”, complementou o subsecretário estadual, Adriano Lopes.

Foto: Jefferson Viana

Realizada no Horto Escola Artesanal, a primeira parte do treinamento contou, ainda, com explanações do coordenador do Programa Especial de Fomento Agropecuário e Tecnlógico, Edmilson Gomes, e do gerente do Programa Frutificar, Ronaldo Soares. As próximas etapas de elaboração dos projetos técnicos nos campos de cultivo incluem o envolvimento de novos organismos estaduais e instituições parceiras, entre elas o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), a Empresa de Pesquisa Agropecuária do Estado do Rio de Janeiro (PESAGRO-Rio), AgeRio e superintendências federais no Rio de Janeiro ligadas ao setor.

Foto: Jefferson Viana

A previsão é de que os produtores selecionados e todo o grupo técnico envolvido no trabalho retorne ao município no dia 10 de setembro para o lançamento da pedra fundamental e assinatura dos termos de adesão e comprometimento, por parte dos produtores, aos projetos de desenvolvimento da cultura do coco nos termos e princípios do PEFATE.

Foto: Jefferson Viana
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email
Fechar Acessibilidade