Centro de Reabilitação oferece atendimento psicopedagógico a crianças

Prioridade nos atendimentos tem sido autistas em idade escolar

O Centro Municipal de Reabilitação de São Pedro da Aldeia oferece atendimento psicopedagógico a crianças com dificuldades de aprendizado e cognição, ou distúrbios de atenção. O objetivo é ajudar os pacientes a recuperarem o prazer pelo saber, corrigir déficits no processo de aprendizagem, com investigação e intervenção corretas, bem como corrigir lacunas da escolarização inicial e superar dificuldades encontradas.

Dessa forma, o paciente, seja criança, adolescente, adulto ou idoso, pode melhorar o desempenho acadêmico ou no trabalho, buscando compreender seu processo de aprendizagem e possíveis dificuldades, além de nortear seu percurso no aprender.

A cidadã Elisângela dos Santos Silva, moradora do bairro Flexeira, leva o filho Felipe Silva Neves, de 6 anos, para acompanhamento psicopedagógico e falou sobre a experiência. “Eu vejo um desenvolvimento muito grande na parte pedagógica, na motora e comportamental do meu filho. A acolhida deste Centro de Reabilitação foi fundamental para mim e, principalmente, para ele. Agradeço muito a Deus e aos profissionais que aqui trabalham, lembro do dia que aqui cheguei, com papéis em mãos, e pude falar diretamente com a coordenadora do setor, o que para mim foi importante. Estou muito feliz, pois meu filho agora interage, conversa. Ele era uma criança muito descontrolada emocionalmente, brigava com as outras, não queria conversar e, agora, ele está mais sociável na escola. A Rejane tem feito um trabalho lindo, o Felipe já consegue escrever o primeiro nome, coisa que ele não fazia”, destacou.

A psicopedagoga Rejane Marques de Jesus é a responsável pelo tratamento. “O Felipe tem diagnóstico de transtorno do espectro do autismo e chegou aqui com dificuldades de aprendizagens significativas em relação à leitura, identificação das cores, diferenciação de objetos e suas utilidades, necessitando de um acompanhamento profissional. Fizemos um acompanhamento especializado em torno de intervenções e estímulos de atenção de forma criativa e lúdica, possibilitando um grande avanço, pois ele já está reconhecendo as letras do alfabeto e os números, fazendo a distinção entre elas, entre outros avanços da criança. É muito gratificante ver o sucesso do nosso trabalho junto ao Felipe”, afirmou.

O menino Banny Henrique de Paula Barcellos Vieira, de 8 anos, também é acompanhado pelo equipamento da Secretaria Municipal de Saúde. “Aqui é muito bom pra mim, me sinto em casa. Estou muito feliz”, comentou alegre.

O progresso do menino foi destacado por sua mãe, Debora de Paula Nascimento. “Meu filho era acompanhado pelo CAPSi quando a pediatra fez o encaminhamento para a psicopedagoga, a fim de melhorar seu desempenho e desenvolver a parte de coordenação motora. Ele não está sendo atendido há muito tempo, mas já percebi uma grande evolução na leitura, está mais calmo, tendo a possibilidade de interagir com outras crianças e adultos, de fazer amizades e brincar, o que não acontecia até então”, disse.

De acordo com a psicopedagoga Rejane Marques de Jesus, Benny chegou ao Centro de Reabilitação sem um diagnóstico fechado, mas com transtornos neuropsiquiátricos de caráter temporário. “Atualmente temos investigado e estamos trabalhando desde a socialização até intervenções específicas para o perfil dele, de forma a melhorar a qualidade de vida e autonomia da criança. No pouco tempo em que ele está conosco já conseguimos bons resultados. Estamos disponíveis a ajudá-lo da melhor forma, buscando um crescimento saudável e uma qualidade de vida para ele em todos os eixos, não só quando ele está aqui, mas também em casa, na escola, na interação com os familiares e amigos”, pontuou Rejane.

No Centro Municipal de Reabilitação, a prioridade nos atendimentos tem sido autistas em idade escolar. Entretanto, há adultos, que já são usuários de algum serviço da unidade, em atendimento por avaliação e indicação interna da própria equipe.

A orientação para pessoas com transtorno do espectro autista sem laudo SUS é comparecer ao CAPSi, no caso de crianças e adolescentes. Já os adultos devem procurar o CAPS, não havendo necessidade de agendamento prévio. Aqueles que já possuem laudo e encaminhamentos para psicopedagogia, fonoaudiologia, fisioterapia e/ou psicologia devem comparecer ao Centro Municipal de Reabilitação, na Rua Hermógenes Freire da Costa, nº 21, no Centro. Dúvidas podem ser esclarecidas pelo telefone (22) 2321 6090.

É necessário apresentar original e cópia dos documentos de identidade, cartão nacional do SUS, encaminhamentos, comprovante de endereço, CPF, e, caso a criança não tenha identidade, levar a certidão de nascimento.

Seu cadastro foi realizado

Mais informações serão enviadas para o e-mail que foi cadastrado 

Agradecemos por participar do Censo LGBTQIA+

As informações coletadas serão importantes para quantificar a demanda de atendimento por parte da Secretaria de Assistência Social para a população LGBTQIA+

Se você deseja fazer um agendamento para atendimento com a nossa coordenadoria LGBTQIA+ Clique Aqui