Encontro apresenta projeto de Identificação Geográfica para o pescado em São Pedro da Aldeia

Trabalho conjunto intersetorial visa agregar valor e divulgar a pesca aldeense
Projeto de Identificação Geográfica - IG para o pescado aldeense (1)
O tema foi abordado durante reunião na sede da Associação dos Pescadores Artesanais Amigos da Praia da Pitória | Fotos: Divulgação

Os pescadores de São Pedro da Aldeia podem ter uma valorização a mais dos seus produtos. As Secretarias de Meio Ambiente e Pesca; Agricultura, Abastecimento e Trabalho; e Desenvolvimento Econômico iniciaram um trabalho conjunto para habilitação do projeto Pescado da Lagoa para a Identificação Geográfica (IG), por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ). A iniciativa conta com a participação do SEBRAE, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) e das associações e colônias de pescadores aldeenses. O tema foi abordado durante reunião na sede da Associação dos Pescadores Artesanais Amigos da Praia da Pitória nesta quarta-feira (19/10).

Além da indicação de procedência e origem, o IG é uma comprovação de qualidade do produto que beneficia tanto o pescador quanto o consumidor. O secretário de Meio Ambiente, Mario Flavio Moreira, destacou a importância do trabalho intersetorial. Este é um pedido antigo e desde o início da atual gestão, a secretaria abraçou a ideia e buscou parcerias para avançar o processo. “Gostaria de ressaltar a importância do prefeito Fábio do Pastel estar direcionando as Secretarias envolvidas para acompanharem esse projeto em parceria com o Sebrae, associações de pescadores e colônias trazendo ainda mais segurança e qualidade de vida para todos. Isso é muito importante”, destacou. 

Projeto de Identificação Geográfica - IG para o pescado aldeense (1)

Para a coordenadora regional do SEBRAE, Ana Cláudia Melo Vieira, o projeto irá agregar valor aos produtos. “Hoje foi a apresentação para os pescadores, para as associações e para os secretários sobre a importância da Identificação Geográfica, no caso de São Pedro da Aldeia, da origem do pescado da Lagoa de Araruama. A gente acredita muito que vai agregar valor ao produto e que muitas ações poderão ser ainda desenvolvidas com esse trabalho de IG, inclusive com acesso a novos mercados e o SEBRAE vai ser parceiro durante este processo”, disse. 

O responsável pelo Departamento de Pesca, Breno Bento dos Santos, ressaltou a relevância de obter a identificação do pescado. “Hoje, percebemos cada vez mais uma tendência dos consumidores valorizarem a origem do produto e do serviço que consomem, por isso a importância da Identificação Geográfica com o selo no nosso pescado”, apontou Breno.

A expectativa dos pescadores do município é alta, como aponta o presidente da Associação de pescadores da Baleia, Paulo César Pinheiro, pescador há quase 40 anos no município. “Estamos com uma expectativa muito grande desse projeto que está vindo para valorizar o pescado da Lagoa de Araruama. A Identificação Geográfica (IG) vai agregar valor ao pescado, favorecendo a comercialização. O pescador, hoje, tem uma expectativa muito boa porque temos um pescado com preço baixo atualmente e com esse projeto vamos conseguir agregar valores excelentes. A ansiedade é grande”, afirmou. 

O presidente da Associação dos Pescadores da Pitória, Francisco Guimarães Neto, mais conhecido como Chico Pescador, também reforça os benefícios da identificação. “O projeto de identificação de origem vem a calhar justamente com nosso projeto de comercialização especial com beneficiamento de pescado. É uma cadeia produtiva organizada que está sendo montada aqui com todos envolvidos mantendo o intuito de valorizar o pescado. Com isso, a comunidade e os pescadores saem ganhando. Quem consome esse peixe também será beneficiado, pois terá a identificação de origem deste produto”. 

O secretário de Agricultura, Abastecimento e Trabalho, Thiago Ribeiro, destaca o empenho da gestão em oferecer capacitação aos pescadores. “Estamos conseguindo alguns cursos com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) em parceria com a Secretaria para propiciar o beneficiamento de pescado com as colônias de pescadores como fizemos no último ano e esse ano devemos fazer mais”, disse. 

Saiba mais sobre o projeto de Identificação Geográfica

É a designação que identifica um produto ou serviço como originário de uma área geográfica delimitada, quando determinada qualidade, reputação ou outra característica são essencialmente atribuídas a essa origem geográfica. A IG possui duas modalidades: Indicação de Procedência (IP) e Denominação de Origem (DO).

A principal função é a de agregar valor ao produto final e principalmente proteger a região produtora, possuindo um papel fundamental na proteção cultural e econômica nacional. Além disso, as IGs têm relação direta com o acesso a mercados exigentes e perfil de consumidores.

Seu cadastro foi realizado

Mais informações serão enviadas para o e-mail que foi cadastrado 

Agradecemos por participar do Censo LGBTQIA+

As informações coletadas serão importantes para quantificar a demanda de atendimento por parte da Secretaria de Assistência Social para a população LGBTQIA+

Se você deseja fazer um agendamento para atendimento com a nossa coordenadoria LGBTQIA+ Clique Aqui