Verão pode colaborar com o aumento de casos de dengue, zika e chikungunya

Secretaria de Saúde alerta população para os cuidados de prevenção e combate ao mosquito transmissor das doenças

A Secretaria de Saúde faz alerta para a possibilidade de aumento de casos de dengue, zika e chikungunya no município de São Pedro da Aldeia durante o verão. As chuvas frequentes e as altas temperaturas nesse período do ano são propícias para a proliferação do Aedes aegypti, mosquito responsável pela transmissão das doenças.

O combate ao inseto deve ser coletivo e contínuo, uma vez que 80% dos criadouros estão em residências e os ovos colocados há semanas ou meses podem eclodir e dar origem a milhares de novos mosquitos. A população pode fazer sua parte eliminando os recipientes que acumulem água, cuidando de áreas externas. E também colaborar com a ação dos agentes de endemia do município, deixando que eles entrem e façam a inspeção nas residências.

O mesmo mosquito (Aedes aegypti) pode transmitir as três doenças causadas por vírus e por apresentarem sintomas muito parecidos, pode gerar confusão no diagnóstico, mas o quadro clínico do paciente ajuda.

Dengue: febre alta, entre 39° e 40°C, repentina e que costuma durar entre 2 a 7 dias, acompanhada de dor de cabeça, dores no corpo e articulações, prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos, erupção e coceira no corpo. Também pode ocorrer perda de peso, náuseas e vômitos;

Chikungunya: febre súbita que pode ser alta, mas menor que no caso de Dengue, dores musculares, nas articulações, na cabeça e erupção na pele. Os sintomas seguem por 3 a 10 dias.

Zika: o sintoma principal é a erupção na pele, com coceira, febre baixa, os olhos ficam vermelhos sem secreção ou coceira, também ocorre dor nas articulações, nos músculos e de cabeça. Os sintomas costumam desaparecer após 3 a 7 dias.

Dez dicas de combate ao mosquito:

1 – Mantenha tampadas as caixas e barris de água;
2 – Deixe as lixeiras bem fechadas e descarte o lixo em sacos plásticos;
3 – Não jogue lixo em Terrenos baldios;
4 – Coloque garrafas de vidro ou plástico com a boca pra baixo, se precisar guardá-las;
5 – Não deixe a água da chuva acumular sobre a laje;
6 – Preencha os pratinhos ou vasos de planta com areia;
7 – Para guardar pneus velhos, retire toda a água e mantenha-os em locais cobertos, protegidos da chuva.
8 – Faça a manutenção das calhas com frequência;
9 – Lave com frequência, com água e sabão, os recipientes usados para guardar água;
10 – Os recipientes de plantas aquáticas devem ser lavados com água e sabão, semanalmente.

Se cada um fizer sua parte, ficaremos livres da ameaça de doenças causadas pelo Aedes aegypti.

Agradecemos por participar do Censo LGBTQIA+

As informações coletadas serão importantes para quantificar a demanda de atendimento por parte da Secretaria de Assistência Social para a população LGBTQIA+

Se você deseja fazer um agendamento para atendimento com a nossa coordenadoria LGBTQIA+ Clique Aqui