Novas possibilidades para a Educação durante a pandemia são analisadas em reunião

A Secretaria de Educação vem buscando medidas reparadoras para a defasagem das aulas em decorrência do isolamento social, que foi decretado para reduzir o contágio pelo novo Coronavírus.

A reunião, que aconteceu ontem (11) pela manhã, teve como objetivo analisar o parecer do Conselho Nacional de Educação. Apesar de ainda não ter sido homologado pelo Ministério da Educação, o documento aponta alternativas para a reorganização do calendário escolar e a possibilidade de atividades não presenciais para a complementação de carga horária mínima anual.

Durante a reunião, foram apresentados gráficos de formulários preenchidos eletronicamente por estudantes e servidores. Foi esclarecido também que a estratégia, que vem sendo adotada através da plataforma de ensino, ainda não atende 100% dos alunos da Rede e que será necessário avaliar novas possibilidades, o que inclui o envio de livros didáticos para a residência dos alunos.

Impressão de material pedagógico

Uma alternativa apontada durante o encontro foi a impressão do material para a retirada nas escolas, medida que ainda depende de ajustes de viabilidade e que irá alterar não somente o contrato com a empresa prestadora dos serviços de cópias, mas também a rotina das escolas, que passarão a funcionar de forma parcial, para evitar aglomerações no momento da retirada do material pedagógico.

A Coordenadora Pedagógica, Daiana Quintanilha, explicou como será caso a medida seja implementada. “Essa é uma possibilidade que foi levantada durante a reunião caso seja contabilizada carga horária na plataforma de ensino. Sendo assim, teremos que fazer a impressão para aqueles que não possuem acesso à internet. Uma das formas de controlar o acesso dos alunos, que continuarão utilizando a plataforma como meio de estudo e complementação de carga, será a utilização de um login”, comentou.

Dificuldade de acesso ao auxílio emergencial do Governo Federal

A dificuldade de acesso, pelos servidores que tiveram contrato rescindido, ao cadastro para o auxílio emergencial do Governo Federal foi outro assunto abordado na reunião. Segundo o vereador o Ediel Teles, alguns funcionários relataram que ainda constavam na folha de pagamento da Prefeitura, o que poderia gerar impedimentos para o recebimento do benefício.

“Algumas pessoas já conseguiram realizar o cadastro e agora aguardam a avaliação do Governo Federal. Deixo como sugestão que seja feito um novo acesso para renovação do cadastro, já que o vínculo com a Prefeitura não consta mais no sistema”, esclareceu Josephane Lima, da Diretoria de Gestão de Pessoas da Secretaria de Educação.

Estavam presentes via Google Meet, o secretário de Educação, Alessandro Teixeira Knauft, a subsecretária de Educação, Edna Henrique de Lucena, a coordenadora-geral de Políticas Pedagógicas, Daiana Quintanilha e representantes da Diretoria de Gestão de Pessoas, Conselho de Alimentação Escolar, Conselho Municipal de Educação, CACS-FUNDEB e os vereadores da Câmara Municipal de São Pedro da Aldeia, que fazem parte da Comissão de Educação e Saúde da Câmara, Ediel Teles e Cláudia Gregório, que pontua a importância desse tipo de encontro para esclarecimentos.

“Neste momento difícil em que estamos passando, temos grandes desafios. Percebo que a Educação aldeense está buscando soluções para problemas diversos e garantir atendimento aos alunos da Rede Municipal de Ensino, para que não tenham prejuízos maiores em seu aprendizado. Em meio a tudo isso não deixamos de trazer sempre à pauta outros assuntos pertinentes e buscando o melhor para todos. Os anseios são grandes, mas muitas vezes nos deparamos com a parte jurídica, que nos impede de avançar. Queremos unir forças para alcançarmos vidas”, pontuou a vereadora.

Ao final do encontro, ficaram marcadas mais duas reuniões. Uma para amanhã (13), na sede da Câmara Municipal, às 15h. A outra reunião será quinta (14), via Google Meet, com o Conselho Municipal de Educação, em horário a ser definido.

Fechar Acessibilidade