Prefeitura aldeense promove reunião para discutir políticas públicas em prol das pessoas com deficiência

O secretário de Governo de São Pedro da Aldeia, Eronildes Bezerra, recebeu, na sede da Prefeitura, um grupo de mães de crianças e pessoas com deficiência, o público chamado “PcD”. O encontro teve como objetivo discutir políticas públicas em prol das pessoas com limitações permanentes, além da proposta de criação do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Participaram do encontro integrantes do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), Conselho Tutelar e Pastoral da Criança da Paróquia São Pedro.

Foto: Rafael Sousa

Na ocasião, o secretário de Governo, Eronildes Bezerra, se colocou à disposição do grupo. “Nós, como entes públicos, temos que fazer o que tem que ser feito. Muitas vezes nos deparamos com dificuldades, com a falta de recursos, mas que temos que vencer com boa vontade, dedicação e, principalmente, com humanidade. Esse movimento é muito importante, tenho um profundo respeito e admiração por cada uma das mães aqui presentes, pela luta e empenho diário pelos seus filhos. Essa luta é de todos nós e temos que estar unidos, porque é somente através da integração entre todos os setores da sociedade que vamos conseguir buscar soluções e avançar nessa área”, disse.

Foto: Rafael Sousa

Durante o encontro, foram abordadas as principais dificuldades e desafios enfrentados pelas pessoas com necessidades especiais. Entre os temas tratados estiveram o acesso a serviços de saúde, assistência social e educação, transporte e mobilidade urbana. A próxima reunião ficou marcada para o dia 26 de setembro, às 15h, no gabinete no prefeito.

Foto: Rafael Sousa

Ângela Del Rosário é uma das profissionais a frente do movimento. Além de conselheira do Previspa, Ângela é voluntária e médica perita da Vara da Família da 1ª DP da Comarca de São Pedro da Aldeia. “Como perita da Vara de Família, eu transito há alguns anos com essas pessoas e muitos dos casos eu conheci justamente pelo trabalho. O objetivo maior dessa reunião foi sensibilizar todos aqueles envolvidos no Conselho da Criança e do Adolescente e os gestores, particularmente o Governo municipal, para essa causa. Pedi ao CMDCA que marcasse essa reunião extraordinária e estamos aproveitando essa abertura que o secretário de Governo nos deu, com toda a boa vontade e sensibilidade, para ouvir um pouquinho das mães e das pessoas com deficiência. A ideia é que, juntos, possamos começar a pensar na criação de um Conselho específico”, salientou a médica, que também é uma das integrantes da rede estadual da Pessoa com Deficiência.

Foto: Rafael Sousa

Uma das participantes da reunião foi a professora Heloíza de Araújo, deficiente visual atuante na rede municipal de ensino. Formada em Língua Portuguesa e especialista em Educação Especial na área da Deficiência da Visão, a profissional também ministra cursos de Educação Continuada para professores da rede, no CEFOR. “Era muito importante para nós, deficientes, que essa reunião acontecesse porque nós precisamos falar das nossas necessidades com quem pode fazer alguma coisa. O fato de formarmos um Conselho é muito importante para que possamos, unidos, lutar pelos nossos direitos e necessidades”, afirmou a docente, que também ocupa o cargo de Secretária do Centro de Inclusão Social dos Deficientes Visuais da Região dos Lagos.

Foto: Rafael Sousa

Também presente no encontro, a presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), Luciana Oliveira, reforçou o apoio à causa. “O CMDCA recebeu a solicitação da médica perita da família e ex-servidora da Saúde Dra. Ângela sobre um agendamento com o prefeito para tratar de assuntos, como a criação do Conselho da Pessoa com Deficiência e as demandas das crianças com microcefalia. O CMDCA tem a função de garantir e construir políticas públicas para a Criança e o Adolescente e nós não podíamos deixar de atender e apoiar a demanda solicitada”, declarou.

Foto: Rafael Sousa

A reunião também teve a presença da Conselheira Tutelar do município, Valquíria Vieira.

Comentários estão desabilitados

Fechar Acessibilidade