Na manhã desta sexta-feira (31), foi encerrada a primeira etapa de oficinas de Educação Alimentar do Programa “Cozinha Brasil” em São Pedro da Aldeia. Voltadas ao público da Assistência Social, a programação da primeira semana reuniu mais de 100 pessoas, dentre usuários, técnicos e gestores da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos e dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) do município. Totalmente gratuitas, as oficinas têm como objetivo promover hábitos alimentares saudáveis e o consumo consciente, com foco no aproveitamento integral dos alimentos. As inscrições para a segunda etapa, a partir do dia 11 de setembro, continuam abertas para o público livre. Para se inscrever, basta comparecer à sede do Horto Escola Artesanal portando documentos de identidade, CPF e comprovante de residência. A iniciativa é uma realização do Serviço Social da Indústria (SESI), do Sistema Firjan, em parceria com a Prefeitura aldeense.

Secretário de Agricultura, Abastecimento, Trabalho e Renda, Dimas Tadeu ressaltou o sucesso da primeira semana do “Cozinha Brasil”. “Essa parceria junto ao SESI foi algo surpreendente e muito positivo para nós. São oficinas que envolvem não só a prática de uma receita mais natural, mas também o processo de educação alimentar, a introdução de hábitos mais saudáveis e uma abordagem para uma melhor economia doméstica. Com esse primeiro público dos CRAS, nós vimos que todos saíram muito felizes e motivados a levar esses ensinamentos para o cotidiano de suas famílias. Tivemos algumas turmas cheias, até acima da lotação, e as pessoas vibraram com o que aprenderam e vivenciaram aqui. E agora o público em geral também terá a oportunidade de participar nessa segunda semana de programação. Queremos estender o convite a todos, as inscrições livres continuam abertas”, ressaltou.

Ao longo da primeira semana de oficinas, as turmas receberam orientações acerca da higienização e valor nutricional dos alimentos, com foco na promoção da saúde e prevenção de doenças, conheceram algumas das principais técnicas de preparo e conservação de alimentos e puderam esclarecer dúvidas. Também foram abordados conteúdos relacionados ao planejamento de cardápio, dicas de receitas e estratégias para diminuir o desperdício a partir do reaproveitamento de partes que normalmente são descartadas, como caule, talos, cascas, folhas e sementes.

Responsável por ministrar as oficinas, a nutricionista Priscila Senra enalteceu a programação realizada, de forma didática, prática e dinâmica. “Mais do que passar informações sobre nutrição, nossa intenção é promover uma consciência nas pessoas para que elas possam começar a mudar de atitude, fazer escolhas melhores e aplicar no dia a dia, como beber mais água, fazer mais atividades físicas, comer mais frutas, verduras e legumes, enfim, introduzir todo esse conhecimento na prática buscando benefícios para a sua saúde. Também focamos muito na questão das receitas e suas diversas adaptações para mostrar que as pessoas podem preparar pratos diversificados aproveitando uma variedade enorme de alimentos, que podem ser incluídos de uma maneira saudável, pensando no sabor e também na nutrição”, disse.

Durante as aulas, os participantes também puderam acompanhar de perto o preparo de receitas à base de ingredientes simples, práticos, nutritivos e de baixo custo, além de degustarem pratos como o “brigadeiro” de batata doce, o suco da horta, feito a partir de couve, maracujá e limão, e a torta “Abobrela”, à base de abobrinha e berinjela. As receitas e demonstrações foram conduzidas pela nutricionista acompanhada pela cozinheira do Programa, Risomar de Souza. Participaram do primeiro ciclo de oficinas usuários dos CRAS Alecrim, Balneário das Conchas, São João, Morro dos Milagres, Porto da Aldeia, Rua do Fogo e do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), além de membros da gestão, coordenadores e técnicos da Assistência Social.

Moradora do bairro Estação, Crisna Leal foi uma das participantes da última oficina do primeiro ciclo. “Adorei a iniciativa, foi uma oficina maravilhosa. Com a questão do reaproveitamento dos alimentos, nós percebemos o quanto desperdiçamos muitas coisas dentro de casa e o quanto acabamos não observando o rótulo dos alimentos com atenção. Para mim, foi uma lição que vou levar para o meu dia a dia, para o resto da vida. Nunca é tarde para adquirir conhecimento e colocar em prática”, salientou.

A segunda etapa do Programa vai incluir oficinas à tarde, das 13h30 às 17h30, e palestras nos turnos da manhã, das 10h às 11h30. As palestras terão como temática a Rotulagem de Alimentos, incluindo a leitura e interpretação da tabela nutricional. Com cerca de 4h de duração cada, a programação também oferece certificado. A programação da segunda semana terá início no dia 11 de setembro e seguirá até o dia 13 de setembro. Ao todo, são oferecidas 25 vagas por turma. O Horto Escola Artesanal funciona das 8h30 às 17h na Rodovia Amaral Peixoto, km 107, no bairro Balneário das Conchas.

]]>

Deixe um comentário

Fechar Acessibilidade