O primeiro dia do curso de artesanato em Decoupage movimentou o Horto Escola Artesanal nesta terça-feira (04), em São Pedro da Aldeia. A iniciativa reuniu alunas de diversas idades para o aprendizado de técnicas artesanais de corte, cola e pintura de objetos. A iniciativa é uma realização da Prefeitura, por meio da Secretaria de Agricultura, Abastecimento, Trabalho e Renda. Com aulas semanais nos turnos da manhã e da tarde, o projeto incentiva a formação de novas artesãs e a geração de renda. O encerramento do curso está marcado para o dia 9 de julho com entrega de certificados e confraternização entre as turmas.



O secretário de Agricultura, Abastecimento, Trabalho e Renda, Dimas Tadeu, acompanhou a primeira manhã de aulas práticas na turma de artesanato. “A gente fica muito feliz de ver tantas mulheres, a maioria alunas novas, participando do curso. É uma oportunidade de as pessoas terem uma alternativa de atividade artesanal, desenvolvendo o seu lado artístico, e também uma chance para o aumento da renda familiar, dentro de um princípio comercial”, destacou.



O curso aborda as técnicas básicas de recorte, colagem, composições e pintura na superfície de objetos, como caixas de MDF, latas e potes de vidro, visando transformá-los em peças personalizadas de decoração, presentes, artigos de festa, enfeites com temáticas diversas e até utensílios para o lar, como porta-trecos e organizadores.



De acordo com a instrutora do curso, a artesã Kátia Carvalho, as aulas terão como foco o reaproveitamento de materiais. “Durante o curso, nós vamos trabalhar principalmente com três tipos de materiais, o MDF, os vidros e as latas, que podem ser reaproveitados. É importante trazer esse conceito de sustentabilidade e mostrar que com materiais de baixo custo, de cunho reciclável, é possível fazer artesanato. Como a maioria das alunas já são artesãs, a intenção é só agregar, aprimorar o trabalho delas, mostrar essa técnica nova, as diversas possibilidades, empoderar e dar uma independência artística a essas mulheres”, destacou.



Do bairro Rua do Fogo, Sueli Santiago é uma das alunas inscritas no curso. Artesã há 30 anos, Sueli falou sobre suas expectativas. “Na minha igreja, eu trabalho diretamente com crianças e quero poder levar essa arte para eles. Além disso, eu recebo encomendas de lembranças para aniversários, casamentos e aprender essa nova técnica vai ser muito importante para mim. Nunca tinha feito curso aqui e gostei muito do espaço. A aula é muito interativa e com linguagem clara. É uma iniciativa excelente e, para mim, está sendo uma oportunidade ímpar”, afirmou a moradora, que é especialista na fabricação de fantoches.



A diretora municipal de Qualificação Profissional da Sagat, Vanusa de Arruda, também participou do primeiro dia de atividades.


]]>

Deixe um comentário

Fechar Acessibilidade