Do fruto à arte: projeto busca artesanato sustentável em São Pedro da Aldeia

“Arte no Coco” é resultado de parceria entre o município e a Fazenda Cadal
Serão confeccionadas peças como bowls, vasilhas, taças e utilitários. Foto: Bruninho Volotão/Dovilgação PMSPA

Gerar renda de forma sustentável e enriquecer a identidade cultural do artesanato aldeense. Esses são dois dos principais objetivos do projeto Arte no Coco, que teve a aula inaugural realizada nesta terça-feira (5) pela Secretaria de Agricultura, Trabalho e Pesca. O projeto é fruto de uma parceria entre a prefeitura e a Fazenda Cadal Agropecuária, uma tradicional fornecedora de coco para mercados e indústrias do estado. Inicialmente, 24 artesãos da cidade serão qualificados.  

A previsão é que até o próximo verão peças como bowls, vasilhas, taças e utilitários já estejam disponíveis para venda no município. A instrutora do curso, Kátia de Carvalho Rodrigues, diz acreditar na potencialidade da casca do coco como substituta do plástico. “O mercado procura muito. São peças que podem ser utilizadas para servir açaí, sorvete, dentre outros alimentos. Que se torne a identidade da nossa região em termos de artesanato.” Kátia é servidora da Escola de Artes aldeense. 

Localizada no bairro Rua do Fogo, a fazenda fornecerá a matéria-prima, equipamentos e o material para a confecção de peças artesanais a partir da casca do coco, como lixadeiras e esmerilhadeiras. O secretário de agricultura, Thiago Ribeiro, agradeceu a parceria. “Antigamente, a casca do coco era descartada. Hoje ela já é reaproveitada no adubo da própria plantação dos coqueiros, mas agora vamos colocá-la na casa das pessoas, o que é muito especial. A Fazenda Cadal é uma grande parceira nossa. Só tenho a agradecer e espero que o projeto renda muitos frutos”, disse. 

As aulas serão ministradas no Horto Escola Artesanal. As quatro primeiras turmas, compostas por seis alunos cada, foram formadas por artistas que já possuíam experiência na área e eram cadastrados na Secretaria de Agricultura. “Depois desse lançamento acreditamos que haja aumento na produção. Com isso, vamos abrir matrículas para que mais pessoas participem do projeto. A ideia não é só qualificar, mas fomentar isso de modo que se criem grupos, associações que darão identidade ao artesanato do município e fomento à renda”, afirmou Vanusa de Arruda, diretora de Trabalho da pasta.

Durante a aula inaugural, a técnica administrativa do Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ), Jane Valpassos, conversou com a turma e falou das virtudes pessoais que devem ser valorizadas.  Ela ainda fez uma dinâmica motivacional com o grupo. 

O  Horto Escola Artesanal fica localizado às margens da rodovia Amaral Peixoto – RJ 106, no bairro Balneário. 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email