Praia do Arrastão ganha placa de preservação dos cavalos-marinhos em São Pedro da Aldeia

Iniciativa foi realizada neste domingo, Dia Mundial do Meio Ambiente, e contou com distribuição de mudas e atividades educativas

No Dia Mundial do Meio Ambiente, São Pedro da Aldeia investiu em conscientização e educação ambiental. Neste domingo (05), a Praia do Arrastão, no bairro Poço Fundo, foi o ponto de encontro da população que se interessa em conhecer mais sobre a Lagoa de Araruama e como ajudar a preservar um dos maiores patrimônios ambientais da região. Foram realizadas atividades educativas e doação de mudas de árvores frutíferas pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Pesca, em parceria com a Secretaria de Agricultura e com o Projeto Cavalos-Marinhos/RJ da Universidade Santa Úrsula. 

Quem participou da ação pode tirar dúvidas e conhecer mais sobre os cavalos-marinhos, além de conferir espécimes do animal desde os primeiros dias de vida até a idade adulta. O evento culminou na instalação de uma nova placa de conscientização, tornando a Praia do Arrastão, mais um local de conservação e preservação dos cavalos-marinhos na cidade. Na praia, foi registrado o primeiro relato de uma colônia dos animais nos últimos anos. 

De acordo com o secretário municipal de Meio Ambiente, Mario Flavio Moreira, o objetivo foi  promover a sensibilização dos moradores que usufruem da Lagoa de Araruama. “Um dia tão importante merece uma comemoração especial. Promovemos este evento para conscientizar a população sobre a importância de cada um fazer a sua parte para ajudar a preservar a laguna. As colônias de cavalos-marinhos encontradas nos mostram que o trabalho está tendo resultado, e precisamos continuar. Hoje, instalamos uma nova placa, aqui na Praia do Arrastão, para incentivar o cuidado com os cavalos-marinhos. A nossa parceria com o projeto visa sensibilizar a população quanto ao manejo correto e não-agressivo à espécie”, reforçou.

Moradora do bairro Poço Fundo há seis anos, Renata Chaves, fez questão de levar as filhas para conhecerem mais sobre a laguna e sobre os pequenos animais que estão levantando a curiosidade dos moradores. “Poder participar de uma atividade ao ar livre no Dia do Meio Ambiente tão perto de casa é uma iniciativa muito bacana. E é uma oportunidade de nós pais, aprendermos e passarmos para nossos filhos mais conhecimento”, disse. 

Com o sonho de se tornarem futuras biólogas, Samara Chaves, 15 anos, e Isabela Chaves, 10 anos, destacaram a felicidade de participarem do evento. “Gostei muito, não é algo que a gente vê sempre, principalmente os cavalos-marinhos, que não são naturais daqui. Estou achando muito importante e estou aprendendo bastante coisa”, relatou Samara. Já a caçula Isabela destacou que o que mais gostou foi ver os espécimes de cavalo-marinho. “Estou achando muito legal, porque quero ser bióloga e sempre quis saber mais sobre os cavalos-marinhos, que eu nunca tinha visto”, contou.

Além de um farto café da manhã, que contou com frutas doadas pela ONG SOS Laguna de Araruama, os participantes também receberam mudas de árvores frutíferas como azeitona doce, jabuticaba, acerola, limão galego e pitanga. Ao todo, foram distribuídas 40 mudas doadas pela Secretaria de Agricultura como incentivo à arborização do município.

O diretor-presidente da Prolagos, Pedro Freitas, destacou o trabalho conjunto realizado com a prefeitura. “A gente comemorar essa recuperação da Lagoa de Araruama é muito importante porque mostra que investir em saneamento dá certo e dá resultado. Encontrar os cavalos-marinhos na laguna deixa a gente muito feliz por fazer parte dessa história. Trabalhamos sempre muito próximo da Secretaria de Meio Ambiente, e é um trabalho conjunto entre a prefeitura, a população e a concessionária para melhorar cada vez mais a qualidade da água da nossa laguna”, pontuou. 

O Projeto Cavalos-Marinhos/RJ foi representado pela aluna da Universidade Santa Úrsula e estagiária do projeto, Mariana Arrais. Ela levou exemplares de espécies do animal em diferentes estágios, desde os primeiros dias de vida, até espécimes adultos e promoveu explicações sobre os cavalos-marinhos para a população presente.

O precursor da ONG Viva Lagoa, Arnaldo Villa Nova, também esteve presente e falou sobre a alegria de ver o trabalho iniciado há mais de 20 anos tendo resultados positivos. Engajada em ações de preservação do meio ambiente, e parte do movimento SOS Laguna de Araruama, Kelly Gracio, foi uma das primeiras pessoas a identificar uma colônia de cavalos marinhos no município. Ela acredita que a Praia do Arrastão tenha sido escolhida pela espécie por ser uma enseada com muitas pedras e pouca movimentação da água. A equipe da Secretaria de Meio Ambiente e o vereador Márcio Soares, que compõe a Comissão de Meio Ambiente na Câmara Municipal, compareceram ao evento, que contou com o apoio da Guarda Ambiental.

Saiba mais sobre os cavalos-marinhos

A espécie mais encontrada no município é a Hippocampus reidi. O cavalo-marinho pode ser um bioindicador de qualidade da água, estão sendo feitos estudos para comprovação. Apesar de serem caçadores ávidos, são animais bentônicos, ou seja, preferem ficar agarrados a substratos e se alimentam principalmente de crustáceos e pequenos seres. Eles podem mudar de cor e se camuflam muito bem ao ambiente.

Os cavalos-marinhos são peixes ósseos e possuem uma coroa no topo da cabeça que permite identificá-los, da mesma forma que as nossas impressões digitais. 

A Secretaria de Meio Ambiente de São Pedro da Aldeia destaca que coletar de ambiente natural, armazenar e manejar cavalo-marinho é crime ambiental (MMA Portaria 445, 17 de dezembro de 2014).

Seu cadastro foi realizado

Mais informações serão enviadas para o e-mail que foi cadastrado 

Agradecemos por participar do Censo LGBTQIA+

As informações coletadas serão importantes para quantificar a demanda de atendimento por parte da Secretaria de Assistência Social para a população LGBTQIA+

Se você deseja fazer um agendamento para atendimento com a nossa coordenadoria LGBTQIA+ Clique Aqui