Reunião na Superintendência Federal de Agricultura discute avanços do projeto Aroeira


O projeto da aroeira de São Pedro da Aldeia
foi tema de uma reunião na sede da Superintendência Federal de Agricultura, no
Rio de Janeiro. O encontro foi mais uma iniciativa do grupo de trabalho do
projeto, o chamado GT-Aroeira, e teve como objetivo apresentar as conquistas já
obtidas e discutir as futuras ações para o fortalecimento da cadeia
produtiva da pimenta rosa no Estado. Entre os temas de destaque estiveram o
trabalho pioneiro de produção da aroeira pelo Assentamento Ademar Moreira, bem
como a inserção de outros lavradores do município no modelo sustentável de
coleta e beneficiamento. Além do secretário municipal de Agricultura, Dimas
Tadeu, também estiveram presentes no encontro representantes da Emater-Rio,
Ministério da Agricultura (MAPA), Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e
Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-RJ).



O secretário de Agricultura, Abastecimento, Trabalho e Renda, Dimas
Tadeu, falou sobre o encontro com a presença das demais instituições parceiras
do projeto. “A reunião foi muito produtiva, fechamos um cronograma de trabalho
a médio e longo prazo que vai envolver outras comunidades além do Assentamento
Ademar Moreira. A ideia é começar a desenvolver o município como um todo,
levando o trabalho de capacitação e treinamento para a cultura sustentável
também aos pequenos produtores de outras áreas, como o Retiro, a Cruz, São
Mateus e a comunidade quilombola de Botafogo”, disse.



Durante o encontro, foram discutidas as novas
perspectivas da cadeia produtiva da aroeira, com destaque para o trabalho
desenvolvido junto aos produtores rurais da Associação de Lavradores do
Assentamento Ademar Moreira (ALAAM), localizada no bairro São Mateus. A
atividade de extrativismo na área de reserva natural do Assentamento foi a
primeira, em todo o país, a ser legalizada, após aprovação do Plano de Manejo e
Coleta pelo Inea.



A pauta da reunião abordou, ainda, o planejamento das atividades,
incluindo uma nova coleta de espécies da aroeira para análise em laboratório,
em parceria com a Fiocruz; a continuidade do trabalho de rastreamento e
certificação orgânica do produto; a realização de novos cursos de capacitação e
treinamento em boas práticas, com assessoria do Senar; Plano de Negócios e a
implantação de áreas de cultivo em outras localidades municipais.



“A gente vem trabalhando com o Assentamento Ademar
Moreira há bastante tempo, apoiando a Associação na regularização e
qualificação da atividade de extração. Com os avanços e todo o acompanhamento
que temos feito, São Pedro da Aldeia tem se tornado uma referência na produção
da aroeira em nível estadual e nacional. Nós saímos da clandestinidade para
alcançar um patamar diferenciado desse produto que nós estamos colocando no
mercado”, complementou o secretário Dimas.



Este ano, o projeto da aroeira de São Pedro da
Aldeia foi destaque em uma das maiores feiras de orgânicos do país, a Green Rio
2019. Um dos marcos do evento foi o anúncio da primeira grande venda da aroeira
produzida pelos agricultores familiares aldeenses a uma empresa de cosméticos
orgânicos do Paraná, marcando a entrada do produto no mercado nacional.



Estiveram presentes no encontro o agente de atividades agropecuárias do MAPA, Pedro Cattete; a auditora fiscal federal agropecuário do MAPA, Ludmila Gaspar;  o supervisor da Emater-Rio em São Pedro da Aldeia, Fábio Oliveira; o gerente do
Serviço Florestal do Inea, Flavio Valente; o chefe do
Serviço de Restauração e Manejo Florestal Sustentável do
Inea, Victor Abreu; a coordenadora pedagógica
do SENAR-Rio, Raquel Lima, além dos representantes da Emater-Rio,
Luis Sergio e Erbal Lopes. O próximo encontro do GT-Aroeira está previsto para
acontecer no próximo mês, em São Pedro da Aldeia. 

Deixe um comentário

Fechar Acessibilidade