Secretaria de Saúde alerta para riscos de casos de leptospirose

População deve evitar contato com água contaminada, beber água potável e ficar atenta aos sinais e sintomas da doença

A Secretaria de Saúde de São Pedro da Aldeia alerta a população para o risco de aumento no número de casos de leptospirose no município devido às fortes chuvas que atingiram a região nos últimos dias. A orientação é evitar contato com água contaminada, beber água potável sempre e ficar atento aos sinais e sintomas.

O setor de Vigilância em Saúde ressalta que a leptospirose é uma doença infecciosa febril aguda, transmitida a partir da exposição direta ou indireta à urina de animais, principalmente ratos, infectados pela bactéria Leptospira. Sua penetração ocorre a partir da pele com lesões, pele íntegra imersa por longos períodos em água contaminada ou por meio de mucosas.

O período de incubação da doença, ou seja, intervalo de tempo entre a transmissão da infecção até o início das manifestações dos sinais e sintomas, pode variar de 1 a 30 dias e normalmente ocorre entre 7 e 14 dias após a exposição a situações de risco. Os alagamentos propiciam a disseminação e a persistência da bactéria no ambiente, facilitando a ocorrência de surtos.

TRATAMENTO

Para os casos leves, o atendimento é ambulatorial, contudo, nos casos graves, a hospitalização deve ser imediata, visando evitar complicações e diminuir a letalidade. A automedicação não é indicada. Ao suspeitar da doença, a recomendação é procurar um serviço de saúde e relatar o contato com exposição de risco. A antibioticoterapia está indicada em qualquer período da doença, mas sua eficácia costuma ser maior na primeira semana do início dos sintomas.

SINTOMAS

De acordo com o Ministério da Saúde, as manifestações clínicas variam desde formas assintomáticas e subclínicas até quadros graves, associados a manifestações fulminantes. São divididas em duas fases, a precoce e a tardia.

Os principais sintomas da fase precoce são:

Febre;
Dor de cabeça;
Dor muscular, principalmente nas panturrilhas;
Falta de apetite;
Náuseas/vômitos;
Podem ocorrer diarreia, dor nas articulações, vermelhidão ou hemorragia conjuntival, fotofobia, dor ocular, tosse, mais raramente podem manifestar exantema, aumento do fígado e/ou baço, aumento de linfonodos e sufusão conjuntival.

Manifestações na fase tardia da doença:

Síndrome de Weil – tríade de icterícia, insuficiência renal e hemorragias;
Síndrome de hemorragia pulmonar – lesão pulmonar aguda e sangramento maciço;
Comprometimento pulmonar – tosse seca, dispneia, expectoração hemoptoica;
Síndrome da angústia respiratória aguda – SARA;
Manifestações hemorrágicas – pulmonar, pele, mucosas, órgãos e sistema nervoso central.

Seu cadastro foi realizado

Mais informações serão enviadas para o e-mail que foi cadastrado 

Agradecemos por participar do Censo LGBTQIA+

As informações coletadas serão importantes para quantificar a demanda de atendimento por parte da Secretaria de Assistência Social para a população LGBTQIA+

Se você deseja fazer um agendamento para atendimento com a nossa coordenadoria LGBTQIA+ Clique Aqui