Centro de Beneficiamento da Aroeira recebe visita técnica de especialistas da Embrapa

Na terça-feira (24), especialistas da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) realizaram uma visita técnica ao Centro de Beneficiamento da Aroeira, localizado no Assentamento Ademar Moreira, no bairro São Mateus, em São Pedro da Aldeia. Acompanhada pelo secretário municipal de Agricultura, Trabalho e Pesca, Dimas Tadeu, a comitiva estadual conheceu as instalações da unidade e verificou de perto os equipamentos industriais existentes. A vinda dos profissionais teve como objetivo propor melhorias no sistema de processamento, além de fornecer soluções tecnológicas e suporte técnico aos agricultores familiares, visando agregar valor e alavancar a qualidade da pimenta rosa produzida no município. Também estiveram presentes na ação representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

Foto: Jefferson Viana

O secretário de Agricultura, Trabalho e Pesca, Dimas Tadeu, enalteceu a parceria com a instituição de pesquisa. “A unidade de processamento de alimentos da Embrapa é mais uma parceira hoje. A gente pôde proporcionar esse primeiro contato dos pesquisadores, eles verificaram os aspectos do funcionamento da estufa, deram ideias e conheceram todo o Centro de Beneficiamento. Nós vamos continuar com essa parceria para implementar um trabalho mais consistente a curto e médio prazo com a cultura da aroeira, para que possamos ter um produto definitivo, com padrão de qualidade, orgânico e com a marca de São Pedro da Aldeia”, disse.

Foto: Jefferson Viana

Durante a visita prospectiva, os técnicos analisaram a estrutura já existente no Centro de Beneficiamento da Aroeira, ainda em fase de construção, conheceram as estufas e os procedimentos adotados no cultivo e na colheita. Os profissionais fizeram recomendações pontuais quanto às boas práticas de fabricação, controle de pragas agrícolas, segurança alimentar, disposição e instalação dos equipamentos, readequações no espaço, melhorias no processo de secagem pós-colheita e normas sanitárias.

Foto: Jefferson Viana

“A questão que tem que ser trabalhada aqui é a qualidade da pimenta rosa. A Associação tem alguns equipamentos que precisam ser bem trabalhados; o foco tem que ser a capacitação das pessoas. Temos muitas possibilidades na Embrapa, de pesquisa, pré-testes e treinamento, e a gente está se engajando para ver como podemos auxiliar esse trabalho. Vamos fazer um levantamento do que já existe para atender as demandas e verificar o que pode ser aplicado para a gente trabalhar de forma articulada junto aos outros parceiros dessa cadeia produtiva”, comentou o analista da Embrapa Agroindústria de Alimentos, Roberto Luiz Pires, especialista na área de Ciência e Tecnologia de Alimentos.

Foto: Jefferson Viana

O galpão de beneficiamento da pimenta rosa, anexo à sede da Associação dos Lavradores do Assentamento Ademar Moreira (ALAAM), será dividido em três ambientes destinados ao armazenamento, limpeza, secagem, seleção e classificação das sementes do fruto, além de uma área exclusiva para a embalagem do produto final. A obra foi possível graças a liberação de recursos do Programa Rio Rural, da Secretaria Estadual de Agricultura, em um projeto executado pela EMATER-RIO, dentro de um pacote de investimentos de R$ 190 mil. A unidade terá capacidade de beneficiar uma produção de 50 toneladas/safra/ano para comercialização a varejo e/ou atacado.

Foto: Jefferson Viana

“A gente veio para entender esse projeto, o que a comunidade está querendo, as necessidades técnicas e qual mercado ela quer atingir. A ideia é reunir informações que vão dar subsídio para a gente poder pensar em um projeto técnico que vai atender a adequações na própria agroindústria e, dessa forma, podermos apresentar uma qualidade que possa agregar valor a esse produto e ser de interesse do número mais amplo possível de consumidores. Eu acho que é um projeto muito interessante e muito importante para a agricultura do município, mas também uma referência para o Estado”, complementou o pesquisador da área de desenvolvimento rural da Agricultura Familiar da Embrapa, Mauro Sergio Vianello.

Foto: Arquivo | Renato Fulgoni

A visita técnica da Empresa ao Assentamento Ademar Moreira foi fruto de uma articulação do chamado GT-Aroeira, que reúne representantes da Secretaria Municipal de Agricultura, Trabalho e Pesca (Sagat), do Ministério da Agricultura, Abastecimento e Pecuária (MAPA), da EMATER-Rio, FioCruz, entre outras instituições. Também participaram da visita ao local o especialista na área de secagem da Embrapa Agroindústria de Alimentos, Félix Emílio, a auditora fiscal federal agropecuário do MAPA, Ludimila Gaspar, o técnico em agronegócio do MAPA, Rodolfo Ferreira, os técnicos da Sagat, Ana Leitão e Flávio Gomes, e o presidente da ALAAM, Edimar Oliveira.

Foto: Arquivo | Renato Fulgoni

A Associação de Lavradores conta, atualmente, com 21 famílias assentadas, sendo 16 envolvidas diretamente no projeto da aroeira, devidamente autorizadas pelo Inea para o manejo e a coleta dos frutos em área de reserva natural. No município, o modelo de trabalho em prol da aroeira tem transformado a atividade extrativista, anteriormente simples e predatória, em uma referência de sustentabilidade. 

Foto: Arquivo Green Rio 2019| Lis Bartalini

Em maio deste ano, o projeto de São Pedro da Aldeia ganhou destaque no Green Rio 2019, um dos principais eventos de produtos orgânicos e bioeconomia do país, com a assinatura do Protocolo de Intenção de Compra da pimenta rosa produzida pelo Assentamento Ademar Moreira, por uma empresa de cosméticos orgânicos do Paraná, marcando a entrada do produto no mercado nacional.

Fechar Acessibilidade