Brasão da Prefeitura Municipal de São Pedro da Aldeia com fita azul dedicado ao mês de Novembro em razão da campanha Novembro Azul.

Trabalho e desenvolvimento

Prefeitura discute projeto de qualificação profissional em parceria com o SENAI

Por Raíra Morena em 11/01/2019
Imagem da Notícia: A Prefeitura de São Pedro da Aldeia promoveu, nesta quinta-feira (10), uma reunião junto à uma representante do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI-RJ), do sistema Firjan. O encontro teve como objetivo discutir a implantação do projeto “Confecção Escola 2019”, que contempla cursos na área de moda e vestuário, destinados prioritariamente ao público feminino atendido nos Centros de Referência da Assistência Social (CRAS), beneficiárias de programas sociais do Governo Federal. Na ocasião, também foram abordados outros cursos de qualificação profissional na área de construção civil. Participaram da reunião o secretário de Agricultura, Abastecimento, Trabalho e Renda, Dimas Tadeu, a secretária adjunta de Assistência Social, Olívia Sá, e a Analista de Mercado e Vendas do SENAI, Adriana Simões. A previsão é de que o projeto seja implantado no Horto Escola Artesanal ainda no primeiro semestre deste ano.

                A Prefeitura de São Pedro da Aldeia realizou, nesta quinta-feira (10), uma reunião junto à uma representante do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI-RJ), do sistema Firjan. O encontro teve como objetivo discutir a implantação do projeto “Confecção Escola 2019”, que contempla cursos na área de moda e vestuário, destinados prioritariamente ao público feminino atendido nos Centros de Referência da Assistência Social (CRAS), beneficiárias de programas sociais do Governo Federal. A reunião também tratou de cursos de qualificação profissional na área de construção civil. Participaram do encontro o secretário de Agricultura, Abastecimento, Trabalho e Renda, Dimas Tadeu, a secretária adjunta de Assistência Social, Olívia Sá, e a Analista de Mercado e Vendas do SENAI, Adriana Simões. A previsão é de que o projeto seja implantado no Horto Escola Artesanal ainda no primeiro semestre deste ano.



O secretário de Agricultura, Abastecimento, Trabalho e Renda, Dimas Tadeu, elogiou a parceria com o Senai para a oferta dos cursos no município. “A ideia é não só aplicarmos um curso para costureira, mas desenvolver também uma proposta de formação profissional com foco na atuação na indústria de confecção e para o trabalho artesanal, de acordo com a demanda que temos em nossa região. O nosso foco é que elas possam estar no mercado de trabalho com uma segurança e a certificação profissional reconhecida, podendo gerar uma renda. Esse será o pontapé inicial, a ideia é que futuramente possamos ampliar esse projeto para atingirmos nos próximos anos um universo de mais de 200 mulheres capacitadas com uma qualificação de ponta”, disse.



                O projeto foi apresentado pela representante do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI-RJ), do sistema Firjan, Adriana Simões, e passará ainda por reformulações, conforme o orçamento do município. No primeiro momento, cerca de 60 vagas serão oferecidas em duas turmas para cursos de costureiro do vestuário e confeccionador de bolsas em tecido, com duração total de 60 dias. As inscrições deverão ser abertas nas sedes dos CRAS. A próxima etapa será a adequação do espaço físico no Horto Escola Artesanal e manutenção das máquinas de costura industriais, como parte da contrapartida do Poder Público Municipal. Além dos cursos no setor de moda e vestuário, também foi discutida a implantação de capacitações voltadas para a área da construção civil, como pintura, revestimento, estrutura, almoxarife e administrador de obra.



                A secretária adjunta de Assistência Social e Direitos Humanos, Olívia Sá, destacou a importância do projeto “Confecção Escola”. “Essa parceria com o SENAI é extremamente significativa para nós porque é um projeto que vai priorizar, primeiramente, o público da Assistência Social. Dessa forma, estamos conseguindo aprofundar a nossa função dentro dessa política, que é dar condições de dar acesso às pessoas aos seus direitos e propiciar a alavancagem na vida delas, fazendo com que essas famílias se tornem firmes, seguras, empoderadas, autônomas e felizes. Essas mulheres vão contar com todo o suporte e acompanhamento das nossas equipes técnicas dos CRAS durante todo o período em que elas estarão sendo capacitadas para o mercado de trabalho”, afirmou.



Também participaram da reunião a coordenadora de Qualificação Profissional da Secretaria de Agricultura, Abastecimento, Trabalho e Renda, Vanusa de Arruda, e a coordenadora das proteções sociais Básica e Especial da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos, Cláudia Brasil.