O grupo de trabalho responsável pela execução do projeto Arvorecer se reuniu novamente para dar continuidade ao planejamento das ações de arborização em São Pedro da Aldeia. Durante o encontro, que aconteceu na sede do Horto Escola Artesanal, os integrantes discutiram novas áreas de plantio, a parceria com as escolas da rede pública e particular e definiram novos detalhes para o mutirão de lançamento do projeto, marcado para 30 de maio, na entrada do bairro São João. O projeto é fruto de uma parceria entre a Prefeitura da cidade, iniciativa privada e sociedade civil organizada.



            No São João, a primeira etapa de plantio contemplou uma extensão de cerca de 70 metros lineares nos dois lados da entrada do bairro. O local recebeu preparação prévia do solo, visando a acomodação das mais de 100 mudas de ipê de jardim, de espécies variadas. “Por serem espécies de porte pequeno, de fácil cuidado e manutenção, os ipês são ideais para a composição paisagística. Além de serem árvores muito bonitas e resistentes, suas raízes não danificam a calçada”, explicou o secretário de Agricultura, Abastecimento, Trabalho e Renda, Dimas Tadeu. Batizado de “Dia D”, o lançamento do projeto vai complementar o plantio de mudas já iniciado no local.



Para ampliar a divulgação e promover o engajamento da comunidade escolar local, uma comitiva do “Arvorecer” esteve nas EscolasMunicipais Dulce Jotta de Souza e Professora Dulcinda Jotta Mendes e no Centro Educacional Professor Elias, localizados no bairro São João, para apresentar o projeto. “A visita às unidades escolares foi muito positiva, todos foram muito receptivos. Fizemos o convite para estarem conosco e abraçarem essa causa. Para os alunos, será uma oportunidade de pôr em prática as questões de cidadania e de cuidado com o meio ambiente que já são trabalhadas dentro da sala de aula”, destacou o biólogo da Sagat, Flávio Gomes, um dos profissionais envolvidos no projeto.



Um dos participantes voluntários é o professor de Geografia da Secretaria de Educação, Ubirajara Ramos. O educador é tutor do curso “Educação no Campo”, promovido anualmente no Centro de Formação Continuada Professora Ismênia Trindade dos Santos (CEFOR), voltado a professores de escolas municipais. Com carga horária de 60h, a capacitação desenvolve temas como sustentabilidade no ambiente escolar, aproveitamento de alimentos, resgate da memória rural e passeio a pontos turísticos. Ao todo, serão seis encontros presenciais, sempre às ultimas quintas-feiras de cada mês.


“A minha intenção é fazer uma ponte entre o curso e o projeto, multiplicando as ações. Teremos o nosso primeiro encontro no dia 30 de maio e cada professor vai ganhar uma muda para plantar em sua unidade. Em cada aula trabalhamos uma temática diferente e a parte prática, dando suporte à implantação de hortas e jardins nas escolas. Essa união entre todos é muito importante não só para a mudança física e criação de novas áreas verdes, mas também para a melhora climática. Quanto mais árvores pudermos plantar, melhor e mais agradáveis serão os nossos ambientes”, destacou Ubirajara.


Também estiveram presentes no encontro a veterinária da Sagat, Ana Carolina Leitão; a técnica em Meio Ambiente do município de Araruama, Nathielli Viviani; e o gestor Imobiliário, Amilcen Garcia.

]]>

Deixe um comentário

Fechar Acessibilidade