A última quarta-feira (20) foi dia de mais uma reunião do grupo de trabalho do projeto “Arvorecer” em São Pedro da Aldeia. Na ocasião, foram discutidos avanços na elaboração, planejamento e execução das ações, que têm como foco principal o plantio de mudas de árvores nativas em áreas públicas do município. O lançamento do projeto está previsto para o dia 22 de março, Dia Mundial da Água, com um mutirão de plantio na entrada principal do bairro São João. A iniciativa é resultado de uma parceria entre a Prefeitura da cidade, sociedade civil organizada e iniciativa privada.



O grupo de trabalho, formado por profissionais especialistas, técnicos, gestores, empresários e voluntários, discutiu de forma conjunta algumas propostas de alteração e inclusão de dados na redação do projeto preliminar, abordando tópicos como objetivos gerais e específicos, justificativas, metas e a metodologia de trabalho a ser aplicada. Cada participante deu sugestões para a formatação do projeto final, que posteriormente será utilizado para a captação de novos parceiros.



Consultor e especialista na área de planejamento de cidades, Osvaldo Ramalho salientou alguns dos benefícios do projeto. “Essa iniciativa vai mudar São Pedro da Aldeia, pois trará qualidade de vida, saúde e responsabilidade social. Imaginem a nossa cidade toda florida. Os moradores cuidarão mais dela, os turistas se encantarão e diminuirá o nível de problemas com limpeza, conservação de espaços públicos etc. As ações precisam ser programadas para causar esse impacto positivo, que incentivará a adesão de empresas e comunidades”, comentou.



Durante o encontro, foram apresentados alguns casos de sucesso já realizados no município, como a Praça do Arruda. Em agosto do ano passado, a praça passou por obras de reforma geral, incluindo o plantio de cerca de 300 mudas ornamentais, jardinagem, renovação de canteiros e intervenções paisagísticas, que contribuíram para a melhoria do espaço de lazer. A manutenção de praças públicas e jardins, promovida de forma periódica pela Secretaria de Ambiente, também foi apontada como uma das ações que serão agregadas às intervenções para arborização.



Na oportunidade, o biólogo da Sagat e pesquisador na área de sensoriamento remoto, Flávio Gomes, compartilhou com o grupo parte dotrabalho de mapeamento da temperatura das superfícies do município. “Fiz um processamento com infravermelho termal a partir de imagens do satélite Landsat-8. São imagens que se aproximam da temperatura real, que podem ser usadas como uma referência dentro desse projeto, porque ajuda a identificar as áreas que precisam ser arborizadas e recuperadas para a melhoria do clima na cidade. Existem muitos estudos que falam sobre a importância da cobertura vegetal na modificação do clima das cidades. A ideia é que o projeto ‘Arvorecer’ se torne uma prática que comece a participar do dia a dia das pessoas e não seja algo pontual, isolado”, afirmou.



Também serão incluídas no corpo do projeto informações específicas sobre espécies e quantidades a serem plantadas, as áreas prioritárias, orçamentos e dados estatísticos. Semanalmente, os integrantes do grupo se dedicam ao planejamento e organização do cronograma de atividades, bem como a discussão conjunta de estratégias de educação ambiental permanentes, o cuidado, a rega e a manutenção dos canteiros, além do trabalho de engajamento e sensibilização popular. 



Além do bairro São João, as mobilizações para o plantio de mudas deverão chegar, ainda, aos canteiros centrais, trevos e rotatórias da Rodovia RJ-140, na entrada da cidade, e no entorno de prédios públicos e escolas, envolvendo a participação de alunos da rede municipal de ensino.


Participaram da reunião os secretários de Agricultura, Abastecimento, Trabalho e Renda (Sagat), Dimas Tadeu; e de Ambiente, Lagoa, Pesca e Saneamento (Sealps), Luciano Pinto; a representante da comissão de Meio Ambiente da OAB, Patrícia Xavier; a chefe sênior do grupo Escoteiros de São Pedro da Aldeia, Josiane Moraes; a paisagista e proprietária do horto Jardim Park, Shirley Francisconi; a especialista em planejamento e projetos, Ana Maria Forte; a fiscal de Meio Ambiente da Sealps, Daiana Cabral; o diretor municipal de Desenvolvimento Econômico, Paulo Jorge dos Santos; o coordenador de Desenvolvimento Econômico, Rafael Zeca Ribeiro; e o técnico agrícola da Sagat, Frederico Bandeira.

]]>

Deixe um comentário

Fechar Acessibilidade