São Pedro da Aldeia celebra Dia do Idoso

Público-alvo poderá participar de uma roda de conversa no CRAS do Balneário para discutir direitos e cuidados domiciliares

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia, por meio da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos (SASDH), realizará uma ação pelo Dia Internacional do Idoso nesta sexta-feira (1º). A Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas promove uma atividade interativa com o público-alvo no CRAS do bairro Balneário às 14h. 

De acordo com a coordenadora da pasta, Camilla de Oliveira, será realizada uma roda de conversa com os idosos referenciados na unidade. A iniciativa visa abordar temas importantes, como os direitos dessa parcela da população. A ação conta, ainda, com uma palestra da enfermeira Renata Lamoglia Araújo, que vai falar dos cuidados domiciliares necessários para quem já passou dos 60 anos.

Data celebra criação do Estatuto do Idoso

Nesta sexta-feira (1º de outubro), comemora-se o Dia Internacional do Idoso. No Brasil, a data foi instituída no ano de 2003, dia da aprovação da Lei nº 10.741, que criou o Estatuto do Idoso. O documento oferece garantias e proteção ao público-alvo. Conforme o Estatuto, o idoso é aquele que possui idade igual ou superior a 60 anos. 

A data passou a fazer parte do calendário nacional e o dia costuma ser dedicado a discutir políticas públicas de combate ao preconceito e de conscientização da sociedade sobre o respeito, valorização e direitos já instituídos.

A coordenadora de Políticas Públicas, Camilla de Oliveira, ressalta que o estatuto é um grande avanço no país. “Atualmente, ainda existem pessoas que enxergam os idosos como  pessoas dependentes, frágeis e inúteis, porém o que devemos fazer é nos adaptarmos às mudanças que ocorrem no envelhecimento, como as limitações e potencialidades e passarmos a respeitá-los”.  

Ela reforça a importância de dar visibilidade à luta contra a violência a esta parcela da população. “A data é fundamental para reavaliarmos nossas atitudes com relação aos idosos, que ainda são vítimas de abandono, violência física, maus tratos, abuso financeiro, dentre outras violações de direitos.  É de suma importância que façamos mais ações como essas, pois é através desses espaços como hoje, que também promovemos conscientização e mostramos para a sociedade que existe uma luta, uma integração desses grupos e que existem direitos que precisam ser respeitados e garantidos”, apontou.

Seu cadastro foi realizado

Mais informações serão enviadas para o e-mail que foi cadastrado 

Agradecemos por participar do Censo LGBTQIA+

As informações coletadas serão importantes para quantificar a demanda de atendimento por parte da Secretaria de Assistência Social para a população LGBTQIA+

Se você deseja fazer um agendamento para atendimento com a nossa coordenadoria LGBTQIA+ Clique Aqui